Alunos brilham com contação de histórias na Batalha Cultural e Literária



A Batalha Cultural e Literária de Contação de Histórias do Projeto Gotta - Oficina de Textos Terra da Alegria, da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), foi concluída nesta quinta-feira (7), na Escola Municipal Instituto Profissional São José, com premiação para os três primeiros colocados e a entrega de jogos pedagógicos e uma mesa interativa para os 20 alunos de seis diferentes escolas que integram o projeto. O secretário de Educação, Marcelo Feres, foi representado pela Chefe de Gabinete, Monica Maia, que atuou como jurada no evento que escolheu, pelo excelente desempenho na contação de “A verdadeira história dos três porquinhos”, Davi Biele, de 9 anos, como vencedor da batalha. O segundo lugar ficou com a aluna Analice Armando, 9 anos, com a história adaptada da obra “Arara do Bico Torto”, e o terceiro colocado foi Luiz Felipe Tavares, 11 anos, com uma adaptação de “A semente da verdade”.

“Mas todos são vitoriosos e todos brilharam em suas apresentações. Vocês são artistas maravilhosos que, por onde passam, levam alegria, ensinamentos e, sobretudo, lições de vida. Espero que o Grupo Gotta continue assim, abrilhantando nossas vidas”, declarou a Chefe de Gabinete da Seduct, na entrega do material, antes da premiação, lembrando que o objetivo do projeto é incentivar a cultura por meio da leitura e da valorização da tradição da contação de histórias. Monica parabenizou todos os alunos que participaram do evento: além dos três primeiros colocados, Ester Anselmo, 10 anos, que apresentou “Fraca, fracola, Madame D’Angola”; Kamilly Victória, com “Chapeuzinho Amarelo”; Maria Fernanda Telles, 11 anos, com “O peixinho que não sabia nadar”; e Rebeca Anselmo Gomes, com “Menina bonita do laço de fita”. Além de Monica, foram jurados na Batalha Cultural e Literária a jornalista Cláudia Eleonora; o escritor e coordenador do curso de Psicologia da Universidade Estácio de Sá, Sharles Santos; o vice-presidente da Fundação Municipal da Infância e da Juventude (FMIJ), Leandro Castelo; e o professor de Teatro do Instituto Federal Fluminense (IFF-Campus Centro), Matheus Gonçalves. A jornalista Cláudia Eleonora também destacou o talento de todos os participantes: “Em nome dos meus colegas do corpo de jurados, eu quero parabenizar a todos vocês por esse lindo trabalho, por essa tarde maravilhosa, porque realmente foi uma tarde que encheu os nossos corações de muita emoção. Vocês todos são vencedores, todos que estiveram aqui se apresentaram brilhantemente. Não desistam dos sonhos de vocês. Que vocês possam crescer valorizando a cultura, porque isso torna o cidadão mais sensível, mais criativo, e o mundo melhor”. O professor do curso superior de Teatro do IFF também falou da importância do trabalho desenvolvido pelo Gotta e pelo evento: “Ver essas crianças do ensino básico atuando, fazendo essas apresentações maravilhosas, demonstrando o poder da palavra, a força da leitura. A palavra é que transforma, a palavra é que nos expressa e, nessa batalha, pudemos ver a identidade de cada criança através da história que escolheu, da forma que ela decidiu contar a história, na entonação de cada palavra, cada frase. Nesse evento, vimos uma valorização muito grande da cultura, da leitura que serve de porta e janela para o mundo. Esse tipo de evento e de projeto, como o Gotta, só contribuem para a formação plena das crianças que merecem uma educação realmente de qualidade, para possibilidades pedagógicas do ensino de arte. Então isso é o mais importante, ver na escola o respeito ao direito à cultura, a valorização do ensino da arte”, destacou o Matheus. No primeiro dia de Batalha Cultural e Literária (quarta, 6), a responsável pelo Projeto Gotta, Ana Sousa, lembrou que o grupo trabalha o incentivo à leitura e a sensibilização da arte por meio da linguagem de contação de histórias, trovas, poesias, crônicas e textos em gerais.






4 visualizações