Alunos de Campos avaliados pela competência em áreas do conhecimento


A Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia começa esta semana a realizar as avaliações do Caed, instituto de avaliação vinculado à Universidade Federal de Juiz de Fora, reconhecido pelo Ministério da Educação como órgão de excelência em avaliação diagnóstica. A diretora Pedagógica, Tânia Alberto, explicou que a Seduct fez uma parceria com o Caed e, no final do ano, foi realizada a primeira avaliação diagnóstica da rede municipal, na qual alunos do 2º ao 9º ano foram avaliados e, a partir deste dado, começou a desenvolver o plano de monitoramento de desempenho escolar turma a turma. Tânia disse ainda que, este ano, foi consolidada a parceria com o Caed para realização de três sequências avaliativas ao longo do ano. A primeira começa agora, na última semana de julho e primeira de agosto. A segunda, entre outubro e novembro, vai avaliar os níveis de fluência em leitura dos alunos e a partir desse resultado iniciar a recuperação com foco na leitura. Já a terceira etapa vai ser a diagnóstica de 2023, em fevereiro. “O objetivo das avaliações é mensurar a competência que os alunos têm naquelas áreas do conhecimento, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e de acordo com os descritores da prova Brasil, que hoje é a prova Aprendizagens, Ano de Escolaridade em Lugar de Série (Saeb), para verificar as habilidades adquiridas dentro desse rol de aprendizagem que as crianças precisam ter em cada série. Com essa avaliação, a gente consegue identificar item por item onde eu tenho, aluno por aluno, maior dificuldade, porque essa é uma avaliação direcionada. Tem um programa que o Caed desenvolve, uma plataforma, e cada escola, cada diretor, cada professor tem acesso nominalmente aos resultados obtidos por cada um de seus alunos e consegue avaliar qual é o tipo de dificuldade que ele tem em maior dificuldade, para que possa direcionar as práticas pedagógicas e superar as dificuldades”, ressaltou a diretora. Além disso, de acordo com Tânia, internamente, a avaliação serve justamente para que se possa, ao fazer esse monitoramento junto às escolas, proporcionar uma ação continuada dos professores, direcionar produção de material pedagógica, direcionar a construção dos cadernos pedagógicos que são colocados no portal PAE, com mais questões relacionadas e ênfase as questões onde o aluno apresenta mais dificuldade. “A gente direciona todas as ações pedagógicas do cotidiano da sala de aula para buscar a superação dessas dificuldades, por isso, ter um parceiro como o Caed para nos ajudar nesse processo de avaliação diagnóstica é muito importante, pois, como é especializado nisso, o subsídio que nos dá em termos de elaboração das questões específicas, em termos de fazer a correção em tempo hábil, em termos de disponibilizar a plataforma para consulta de cada professor, de cada escola e da própria rede, é de suma importância. Isso faz uma diferença enorme na aceleração das ações a serem desenvolvidas para combater a dificuldade da aprendizagem”, finaliza Tânia.

13 visualizações