Alunos do Ciep Wilson Batista passam por exames médicos e oftalmológicos



Alunos entre 5 e 12 anos do Ciep Wilson Batista passaram por atendimentos pediátricos e oftalmológicos, na manhã desta segunda-feira (13). O projeto é uma parceria da Secretaria de Educação Ciência e Tecnologia (Seduct) com a Faculdade de Medicina de Campos (FMC) e vai beneficiar 1.155 alunos dos 1.580 matriculados na unidade escolar. A ideia é estender o atendimento para outras escolas da rede municipal. Por dia, serão atendidas 20 crianças. A ação é coordenada pelo Programa Saúde na Escola (PSE) e contou com apoio dos estudantes do 8º e do 4º anos de Medicina, e presença do diretor da Faculdade, o médico Edilbert Pellegrini.


Os alunos foram avaliados em relação à obesidade, anemia, desnutrição, deficiência visual e ainda alterações dentárias, como cárie. Pela manhã, a maioria dos problemas estava relacionado a parasitoses intestinais, anemia e cáries. Todas as crianças identificadas com sintomas foram encaminhadas às unidades de saúde do município.


Edilbert Pelegrini disse que parcerias como essas são importantes porque aproximam os estudantes das aulas práticas, além de ajudar no trabalho preventivo. “Sem dúvida alguma, é um trabalho muito importante, pois, atuando na prevenção das doenças, estamos ajudando essas crianças a terem um melhor aproveitamento no ensino aprendizagem”, ressaltou.

A Coordenadora do Programa Saúde na Escola (PSE), Catia Mello, disse que a escola representa uma importante interseção entre saúde e educação, proporcionando amplas oportunidades de iniciativas como estas, por meio de ações de diagnóstico clínico, social, estratégias de rastreamento e encaminhamentos para serviços médicos especializados ou atenção básica, além de educação em saúde e atividades de promoção da saúde. “Zelar pela saúde dos nossos alunos é contribuir com seu processo de aprendizagem”, destacou Cátia.


Diretora do Wilson Batista, Célia Maria Ferreira afirmou que projetos como esses devem ser implementados em toda a rede. “Nossa expectativa com esse trabalho é a melhor possível. Sabemos que quando as crianças estão com a saúde em dia elas conseguem ter um aproveitamento muito maior na sala de aula”, avaliou.

A diretora de relações institucionais da Seduct, Ludmila da Matta, explicou que a ideia é fazer um treinamento com os professores da rede municipal para que eles possam identificar quando um aluno apresentar problemas de saúde. “A meta, com esse treinamento, é ampliar o atendimento a outras escolas. Quando o problema for identificado, a criança será encaminhada para um profissional de saúde”, orientou.


19 visualizações