top of page

Atendimento terapêutico começa em algumas semanas na Escola de Aprendizagem Inclusiva





Em algumas semanas, a Prefeitura de Campos vai dar início ao atendimento terapêutico de cerca de 170 alunos típicos e atípicos da Escola de Aprendizagem Inclusiva (EAI), com dificuldades de aprendizagem. Nesta quinta-feira (14) o secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres, reuniu-se com a diretora de Auditoria, Controle e Avaliação da Secretaria Municipal de Saúde, Bruna Araújo, para definir os últimos detalhes da ação conjunta.


A parceria entre as duas Secretarias envolverá não apenas os atendimentos com neurologistas, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, mas também capacitação com especialistas da Saúde voltadas aos profissionais da rede municipal de ensino, especialmente os da educação infantil, visando identificar possíveis casos de transtornos como o do espectro autista, por exemplo, nos alunos das escolas e creches municipais. 


“Com esse novo passo, os alunos também receberão atendimento terapêutico individualizado, além do atendimento coletivo que já fazemos pela Secretaria de Educação. Este ano, já estamos ensinando libras a todos os alunos matriculados na Escola de Aprendizagem Inclusiva, não apenas aos surdos, pois estamos promovendo uma verdadeira ação de inclusão. Queremos com isso, criar uma nova sociedade que saiba se comunicar, de fato, com os surdos, promovendo realmente uma educação inclusiva. O início dessa parceria com a saúde faz aumentar ainda mais a esperança e a certeza de que o município está cumprindo seu papel”, destacou Marcelo.


Bruna destacou que o objetivo é promover o diagnóstico, a intervenção e o tratamento de forma precoce. “A ideia é para que, mesmo após a conclusão das capacitações, a gente mantenha um grupo de whatsapp com os profissionais para que eles possam tirar dúvidas de casos específicos. Quanto ao atendimento terapêutico, os alunos passarão por uma triagem com a assistente social para ver quais atendimentos necessitam; em seguida serão encaminhados para a enfermagem que fará a anamnese e ajudar a promover os agendamentos médicos, quando necessário”, explicou Bruna.


Também participaram da reunião, a assessora técnica da Secretaria de Educação, Catia Mello; e as técnicas da Secretaria de Saúde, Isabel Caetano, Mariana Marins e Ceneida Ferraiouli.


NA EAI, crianças de 2 a 8 anos de idade recebem reforço escolar com base nas propostas do Programa de Aprendizagem Eficiente (PAE), visando à criação de um ecossistema com diversas ações que possibilitem a aceleração do processo de ensinar e aprender, com estimulações cognitivas e ênfase nas Linguagens e Matemática.




226 visualizações

Comments


bottom of page