Atividades da Escola de Aprendizagem Inclusiva começam nesta terça-feira



As atividades da Escola de Aprendizagem Inclusiva terão início a partir de terça-feira (25). Cerca de 80 alunos da rede municipal de ensino serão contemplados este ano no espaço, que foi inaugurado pelo prefeito Wladimir Garotinho e pelo secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) no dia 12 de outubro, Dia das Crianças. A Escola funciona na Cidade da Criança Zilda Arns, que passou a contar com uma nova proposta de atendimento, se transformando em um Centro de Lazer, Educação e Convivência Inclusiva, e deixando de ser apenas um parque temático.


Segundo o secretário de Educação, Marcelo Feres, a Escola de Aprendizagem Inclusiva (EAI) será um espaço de promoção da aprendizagem de crianças típicas e atípicas, visando à convivência inclusiva. Ela integrará ações coletivas no âmbito pedagógico e individuais; e no âmbito terapêutico, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, conforme as especificidades de aprendizagem dos estudantes.




A EAI vai oferecer reforço escolar para alunos entre 2 e 8 anos da rede municipal de ensino, mediante agendamento, das 8h às 12h e de 13h às 17h, de terça a sexta-feira. Também serão atendidos com diversas atividades, pais e responsáveis pelos estudantes, além dos profissionais da Educação. Aos sábados, domingos e feriados, o parque temático ficará aberto ao público em geral para o lazer, das 8h às 17h. Às segundas, o local permanece fechado para limpeza e manutenção.


“O Reforço Escolar vai acontecer com base nas propostas do Programa de Aprendizagem Eficiente (PAE), visando à criação de um ecossistema com diversas ações que possibilitem a aceleração do processo de ensinar e aprender, com estimulações cognitivas e ênfase nas Linguagens e Matemática. Quando necessário, os alunos receberão auxílio de fonoaudiólogos, pedagogos, psicopedagogos e psicólogos”, explicou Marcelo.

PREPARAÇÃO

Ao longo da semana passada, as equipes da EAI promoveram diversas reuniões com os funcionários e pais de alunos visando explicar a proposta da unidade. Na sexta-feira (21), a assessora técnica da Seduct, Catia Mello, e a coordenadora da Escola de Formação dos Educadores Municipais, Talita Ernesto, orientaram os pais e responsáveis e tiraram dúvidas. Uma das professoras da Escola, Luciana Soares, também esteve presente na reunião com os pais. Ela é alfabetizadora, formada em Pedagogia e Matemática, com especialização na UERJ em alfabetização e letramento.


“A escola não é voltada apenas para pessoas com deficiência, mas qualquer criança que possa ter alguma dificuldade no processo de aprendizagem. Vamos trabalhar as principais habilidades das crianças para superar suas dificuldades. É um projeto ousado que nasceu do coração do secretário de Educação, Marcelo Feres. Nosso objetivo é a convivência e os alunos continuarão frequentando a escola regular. Eles virão aqui uma vez na semana e, em paralelo, realizaremos atividades com os pais em outra sala, como oficinas, meditação, palestras, entre outras”, explicou Catia.


Talita afirmou que, nesta segunda-feira (24), a Seduct vai enviar mensagens para os pais via whatsapp confirmando o dia e horário de atendimento de cada aluno. “Esse grupo será atendido até o dia 17 de dezembro, mas, vamos atender as especificidades de cada aluno e, se houver necessidade, os atendimentos continuarão no próximo ano. Eles aprenderão de forma lúdica e prazerosa. Não é um modelo de escola padronizada”, destacou.


A coordenadora do Departamento de Educação Especial Inclusiva, Carolina Carmo, também promoveu reuniões na semana passada com os diretores e professores das escolas que farão os encaminhamentos das crianças que necessitam de intervenção para aceleração da aprendizagem. “Paralelamente a essas reuniões, fizemos contato com as escolas que têm crianças surdas e crianças cegas para iniciarem as oficinas de braille e libras”.


Andrea Tavares, é orientadora pedagógica do Acolhimento Despertar e vai acompanhar as atividades do aluo Davi, de 5 anos de idade. “A maneira como as equipes estão nos acolhendo é diferenciada. A gente já consegue ver o chamego que meu pequeno Davi vai receber aqui. Estou muito emocionada e esperançosa”, comentou.

Dona Heverlane das Chagas já é tataravó e não se cansa de participar da educação dos familiares. Ela ficará responsável pelo acompanhamento do bisneto Dyan Gabriel, de 8 anos, aluno da Escola Senador Tarcísio Miranda. “Tudo que for pro bem dele eu vou abraçar. Tenho certeza que esse atendimento aqui vai fazer a diferença na vida dele. Estou muito animada e feliz”, disse.



UNIDADES CONTEMPLADAS NA 1ª FASE:

1.EM Sagrada Família

2- EM Alcindor de Moraes Bessa

3. EM Maria Lúcia

4. EM Pequeno Jornaleiro

5 EM Sebastiana Machado da Silva

6 Ciep Arnaldo Rosa Viana

7 - Instituto Profissional São José

8 - EM Ferroviário Jacy Barbeto

9 - EM Francisco de Assis

10 - EM Professor Wilmar Cava Barros

11 - EM Senador Tarcísio Miranda

12 - EM Walter Siqueira

21 visualizações