top of page

Biblioteca em Casa aprovado por pais, alunos e profissionais da Educação




“Minha filha falou que está rica de tantos livros. Agradeço muito aos responsáveis por esse lindo projeto para o futuro das crianças”. A afirmação é de Cintia Souza Rangel, mãe da estudante Ana Clara, da Escola Municipal Amaro Antonio da Silva, a respeito do projeto Biblioteca em Casa, implantado pela Prefeitura de Campos este ano, por meio da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct).


A aluna de 7 anos está no 2° ano de escolaridade e recebeu uma maleta do projeto, esta semana, contendo 18 livros para ler em casa com a família, dos quais já leu dois: Lui e Mila, de Mariana Tancredi, e Queijo com Quiabo, de Donaldo Buchweitz.


“Amamos muito. Minha filha ama ler e esse projeto é mais um incentivo à leitura e ao estudo. Muito importante porque esses anos "perdidos" pela pandemia acabaram prejudicando muito a vida escolar das crianças. Desde pequena, mesmo sem saber ler ainda, já trazia os livros da escola para eu ler para ela e assim criou o bom costume da leitura. Espero que todas as crianças aproveitem ao máximo esses livros porque o futuro a elas pertencem. Vou ler todos também. Agradeço também a diretora Juliana Dumas da E. M. Amaro Antônio da Silva por tentar fazer o melhor pelos alunos”, afirmou.



A diretora Juliana também avaliou o projeto. “Como gestora escolar do município há 15 anos, fico muito feliz em ver nossa educação deslanchando de uma forma nunca vista. Esse Projeto Biblioteca em Casa é simplesmente maravilhoso. Incentiva, fortalece e valoriza a leitura literária no cotidiano dos nossos alunos. Eles ficaram radiantes e encantados ao receberem a maleta recheada de livros. Parabenizo o prefeito Wladimir Garotinho e o nosso secretário de Educação Marcelo Feres, por proporcionar aos nossos alunos esse excelente projeto. Nossos alunos estão sendo valorizados", destacou Juliana.


De acordo com o secretário de Educação, o Biblioteca em Casa: (Re) construindo Saberes visa atender estudantes do Pré-escolar II ao 9º ano de escolaridade. Por meio dele, a Prefeitura esta oferecendo maletas contendo 18 ou 19 exemplares de diferentes livros paradidáticos da Literatura Brasileira, que poderão ser levados para casa, de modo a permitir a leitura não somente por parte dos alunos, mas também por seus familiares e professores.


O projeto pretende aumentar, ainda, a interação Família X Escola, ampliando e fortalecendo os vínculos familiares. Essa é a materialização de mais uma meta do Programa de Aprendizagem Eficiente (PAE), implantado no início do ano passado.


“O acervo bibliográfico é adequado por idade e nível de escolaridade, aprovado pelo Departamento Pedagógico da Seduct. A medida busca o cumprimento de várias metas do Plano Nacional de Educação e do Plano Municipal de Educação, visando melhorar o desempenho geral da rede municipal de ensino e o domínio da leitura, dentre outras habilidades”, explicou Marcelo.




212 visualizações

Comments


bottom of page