Bolsistas do Mais Ciência são premiadas em Mostra de Extensão na Uenf



Duas bolsistas do Programa Mais Ciência, Ensino Superior, da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) tiveram trabalhos premiados na Mostra de Extensão da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), realizada no mês de outubro. O trabalho foi apresentado pelas bolsistas Clarisse Barreto e Mila da Rocha Gomes, fazem parte do projeto “Infâncias Campistas: Proteção e participação da criança pequena”, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) para auxiliar o Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente a criar o plano da primeira infância.

O projeto é coordenado pela professora do departamento de psicologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Beatriz Corsino. A coordenadora do Mais Ciência, Leonora Tinoco, destacou a importância da premiação. A premiação obtida por esses 2 projetos na XIV Mostra de Extensão ratifica a importância do Programa Mais Ciência, que estimula o desenvolvimento de projetos acadêmicos de interesse do nosso município. São diversas pesquisas científicas acontecendo em parceria com vários setores da Prefeitura, o que só tem a contribuir para a melhoria da cidade. Parabéns às professoras e a Universidade Federal Fluminense (UFF) pelos projetos premiados!”.

Clarisse falou sobre a felicidade que sentiu quando soube que havia sido contemplada no Mais Ciências e da premiação na Mostra de Extensão. “Foi muito legal participar da Mostra de Extensão e levar uma premiação, porque a gente percebe a importância do nosso projeto com a sociedade. Acho que uma das coisas que mais estou gostando é observar como as crianças estão atentas a realidade na qual se inserem e como são produtoras da cultura. Através do relato delas, nós pudemos identificar vários pontos que dizem respeito à primeira infância no município na área da educação, saúde, violações, vulnerabilidade, entre outras. Agora falando sobre o programa Mais Ciência, fiquei muito feliz quando saiu o resultado de que eu seria uma das bolsistas com o projeto de extensão Infâncias, juventude e Políticas Públicas. Acho muito importante que o município esteja atento às produções científicas que a população está produzindo sobre a cidade, incentivando essa produção”, disse.

Já Mila destacou que a premiação da Mostra de extensão IFF, UFF, UENF e o Programa Mais Ciência são muito importantes para incentivar os estudantes a fazerem pesquisas que extrapolam os limites físicos das universidades, com o objetivo mostrar à sociedade tanto a relevância dos trabalhos desenvolvidos no campo acadêmico como os benefícios conquistados a partir de tais iniciativas.

“Outro ponto importante é que, a partir de tais premiações e programas, os próprios estudantes podem conhecer novas pesquisas e projetos, e isso auxilia na desmistificação e na popularização desses entre outros alunos, que podem se interessar a também participarem e desenvolverem pesquisas. Além disso, a premiação da Mostra e o Programa Mais Ciência demostram o reconhecimento dos projetos contemplados, e valorizam a educação e as pesquisas acadêmicas. É importante ressaltar ainda que, com o auxílio financeiro da bolsa do Programa Mais Ciência, muitos estudantes são capazes de se dedicarem integralmente ao projeto em que estão inseridos, sem contar que muitos desses necessitam de tal auxílio como fonte de renda. Assim, acredito que todos esses pontos mostram a relevância desses incentivos e de suas continuidades para futuros ingressos que tenham aptidão e queiram realizar estudos científicos”.

O PROJETO

A coordenadora Beatriz Corsino conta que o plano começou a ser elaborado em 2019, veio a pandemia, a comissão se reorganizou em 2020 para pensar o diagnóstico da primeira infância. Agora, está sendo reunido dados sobre saúde, educação, assistência social, de violações de direitos, esporte, cultura, lazer para criar essa parte quantitativa.


“Também fizemos a escuta de cerca de 300 crianças para conhecer melhor a realidade delas e entender as suas necessidades e interesses. Fomos em 13 escolas (distribuídas pelos territórios do cras) para abranger a diversidade de infâncias. E também fizemos atividades específicas no acampamento do MST, com crianças com deficiência, em uma comunidade negra rural e organizações da sociedade civil. As crianças que participaram têm idades entre 4 e 7 anos, então, exigiu pensar uma metodologia lúdica pela qual as crianças pudessem expressar suas opiniões. Além disso, também fomos em acolhimentos institucionais, e abordamos crianças em situação de rua e suas famílias. Atualmente, estamos na fase de análise desse material todo e de fazer divulgação do diagnóstico para pensar o plano”, conclui.

MAIS CIÊNCIA


O objetivo do Mais Ciência é apoiar, por meio da concessão de bolsas e de taxas de bancada, o desenvolvimento de projetos de interesse das Secretarias, Subsecretarias e demais órgãos da Prefeitura, a fim de estimular a vocação científica e de extensão e a formação de novos pesquisadores nas Instituições de Ensino Superior (IES), articulando as pesquisas e atividades com as demandas necessárias ao processo de desenvolvimento socioeconômico no município de Campos. Podem ser indicados para receber as bolsas estudantes regularmente matriculados nas IES públicas e privadas desde que orientados por professores das suas unidades.

9 visualizações