top of page

Bolsistas do Programa Mais Ciência na Escola recebem termos de outorga




A Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) realizou a entrega dos termos de outorga aos alunos e professores da terceira edição do Programa Mais Ciência na Escola nesta quinta-feira (15). A cerimônia foi presidida pela subsecretária de Ciência e Tecnologia, Suzana da Hora, e pela coordenadora do programa, Carla Salles, no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFF) campus Campos Guarus.


Elas deram as boas-vindas aos 120 alunos e 22 professores envolvidos em 40 projetos selecionados em edital. Ao todo, 16 escolas participam das atividades que tiveram início em maio deste ano. O pagamento do primeiro mês de pesquisas já foi efetuado pela Seduct.


“O programa Mais Ciência na Escola é muito importante para o desenvolvimento dos nossos jovens estudantes. A partir dele, os alunos do ensino fundamental já começam a compreender as complexidades da ciência e da tecnologia e, com isso, têm seu interesse despertado para esse assunto. Muitos desses nossos alunos que hoje passam a integrar esse projeto serão instigados pelo mundo da pesquisa, passando a fazer parte dele, ampliando seu potencial de crescimento futuro”, destacou Suzana.



Jade Alves é uma das contempladas e integra o projeto Implantação de um clube de ciências na EM Frederico Paes Barbosa.


“Eu queria participar do projeto desde o ano passado, mas não tive a oportunidade e esse ano consegui entrar, por isso estou muito feliz por fazer parte desse Clube de Ciências. Primeiramente, eu quis entrar por causa do dinheiro mesmo, mas depois eu vi que é muito mais que isso. Achei muito legal e está sendo uma experiência muito boa, está me ajudando muito nas matérias, me aproximei mais da professora de Ciências, Walquíria, que é uma pessoa incrível e eu entrei no clube por causa dela. Recomendo o projeto pois é uma grande oportunidade de conhecer pessoas novas e de aprofundar mais nas matérias. Percebi o quanto a ciência é importante para nossa vida e que ela não é uma matéria chata da escola, é tudo aquilo que está a nossa volta. É uma coisa que vai ficar para sempre na minha memória”, comentou a adolescente.



Carla Salles afirmou que a participação no programa é uma oportunidade singular para alunos e professores. “Ao participarem de projetos de pesquisa, os alunos aprendem a formular perguntas, levantar hipóteses, realizar experimentos, coletar e analisar dados. Essas habilidades são essenciais para o desenvolvimento do pensamento lógico e da capacidade de solucionar problemas, competências fundamentais para qualquer área de estudo ou profissão”, disse.


Para ela, outro aspecto relevante é o desenvolvimento de habilidades socioemocionais. “Os alunos têm a oportunidade de trabalhar em equipe, compartilhar ideias, debater e colaborar para a resolução de problemas. Essas experiências promovem a melhoria da comunicação, da habilidade de negociação, do respeito às diferenças e da construção de relacionamentos interpessoais saudáveis”, pontuou Carla.


Os eleitos participaram do processo de seleção de projetos de pesquisa e seleção de estudantes bolsistas de Iniciação Científica Júnior, aberto no início de março. Eles receberão bolsas nas categorias de Iniciação Científica Junior (ICJr), de apoio científico e tecnológico para o Professor Orientador e Taxas de Bancada, com fomento por meio de royalties direcionados para a Educação.


O valor da bolsa de ICJr pago ao estudante é de R$ 160,00 mensais, da bolsa de apoio científico e tecnológico paga ao Professor Orientador é de R$ 300,00 mensais e a Taxa de Bancada paga ao Professor Orientador é de R$ 1.000,00, pago em duas parcelas de R$ 500,00, sendo a primeira na aprovação do projeto e a segunda na aprovação do relatório parcial, ao final do 4º mês de seu desenvolvimento. As bolsas serão concedidas por um período de 8 meses nas seguintes áreas: Ciências da Natureza; Ciências Humanas; Matemática e Linguagens.

41 visualizações

Comments


bottom of page