Bolsistas e orientadores de projetos da Educação recebem termos de outorga



Quarenta e quatro projetos foram aprovados para receberem bolsas de estudo e de apoio tecnológico da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct). Seus autores e professores orientadores receberam os termos de outorga das mãos do secretário da pasta, Marcelo Feres, nesta segunda-feira (27), em evento realizado no Auditório Cristina Bastos, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF) – campus Centro. Os projetos foram selecionados por meio do Programa Municipal Mais Ciência na Escola e Programa Municipal de Apoio a Startups – Startup Campos. A solenidade contou com participação da pró-reitora de Extensão do IFF, Cátia Cristina Viana; da subsecretária de Ciência e Tecnologia, Suzana da Hora; gerente de Articulação de Projetos da Seduct, Adriana Crespo; coordenadora dos Laboratórios de Ciências da Seduct, Carla Sales; coordenadora do Ensino Fundamental – Anos Finais, Ana Márcia Scot, além de estudantes da rede municipal de ensino, empreendedores e pais de alunos. “Estou aqui representando Henrique da Hora, um dos diretores da TEC Incubadora. Parabenizo a Prefeitura por esse importante investimento em educação, que leva em conta dois princípios muito caros, por meio de desses dois projetos. Um deles considera o trabalho como princípio educativo e o outro, a pesquisa como princípio pedagógico. Ambos são princípios que estão nas políticas educacionais. A pesquisa se faz presente através do investimento que fazemos na criatividade dos nossos alunos”, afirmou Catia Viana.

O secretário Marcelo afirmou que a Seduct está preparando os estudantes para o futuro. “Sinto-me muito à vontade aqui nesse auditório, onde estive como aluno e como professor. Estamos construindo um espaço fundamental para o desenvolvimento do presente e do futuro na nossa cidade. Estamos diante de algo inusitado: ao mesmo tempo falando com empreendedores, que submeteram edital no Programa de Startups, e com jovens estudantes e professores, que submeteram projetos no Programa Mais Ciência na Escola. Aqueles que já estão com energia para começar projetos de inovação e, por outro lado, aqueles com menos experiência de idade e ano escolar, porém com muita vontade de aprender. Quem hoje pode ficar de fora dessa realidade de ciência e tecnologia? Todo mundo está consumindo tecnologia tanto quanto possível. Não apenas devemos consumir, mas também criar e tirar proveito de forma mais inteligente e eficaz. É uma era de mudanças na Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia. Estamos aqui para que esses alunos, desde cedo, encontrem caminhos para solucionar problemas, buscando reunir conhecimento e aprender mais para criar soluções que, de alguma maneira, fará nossa cidade avançar, gerar empregos e recursos, necessários para termos qualidade de vida”. Segundo ele, o governo Wladimir Garotinho está preparando os estudantes para o futuro. “Mesmo quem não está inserido nesses dois projetos será beneficiado de alguma forma, pois estamos garantindo para as escolas da rede municipal laboratórios de robótica, de ciência, e de matemática. Estamos construindo um modelo que vem para ficar, estimulando nossa juventude a unir o preparo com a oportunidade. Não parem. Acreditem em vocês”, concluiu. Suzana lembrou que os dez projetos de startups receberão não apenas bolsas de estudos, mas também, apoio e orientação técnica para construírem e alavancarem seus negócios. “Campos está entre as 50 maiores cidades do Brasil, então devemos nos comportar como tal. Com esses programas a gente espera promover a aceleração da economia e a pesquisa. Queremos que desde novinhos, nossos alunos tenham essa noção do que é a pesquisa. Aproveitem bastante os professores que são tão dedicados. Muito obrigada por terem participado e chegado até aqui. Agradeço a toda equipe que está batalhando para fazer tudo isso acontecer”, comentou.

Durante o evento, professores e estudantes deram seus depoimentos. Uma delas foi a educadora Valquíria Rangel, da Escola Municipal Frederico Paes Barbosa. “É um grande desafio participar desse projeto. Eu decidi participar para resolver inquietações que eu trazia como professora. Queria ajudar os alunos a trabalharem as habilidades múltiplas. Selecionei os alunos que não apresentavam grandes notas, mas iam muito bem quando participavam de projetos. Não existe aluno ruim, existe aluno não estimulado. Não podemos aplicar a mesma metodologia com alunos tão diferentes. Por isso, eu quis acessar alunos que não eram acessados antes. Escolhi estudantes com diferentes perfis, não foi por nota nem por diário. Meu objetivo é aproximar os alunos da universidade e fazer com que eles se sintam integrantes desse ambiente, tenham a sensação de pertencimento”, destacou. Conheça os programas – O Programa Mais Ciência na Escola é um processo de seleção de projetos de pesquisa de professores da rede municipal e seleção de estudantes bolsistas de iniciação científica júnior. Dos 35 projetos inscritos, 29 foram de ciências da natureza, 5 de matemática e um de ciências humanas. O valor da bolsa de ICJr pago ao estudante será de R$ 160,00 mensais e da bolsa de apoio científico e tecnológico paga ao professor orientador será de R$ 300,00 mensais, enquanto a taxa de bancada ao professor orientador terá o valor de R$ 1.000,00 pagos em duas parcelas de R$ 500,00, sendo a primeira na aprovação do projeto e a segunda na aprovação do relatório parcial, ao final do 4º mês de seu desenvolvimento. O Programa Municipal de Apoio a Startups visa apoiar a incubação de empresas na TEC Campos Incubadora, parceira da Secretaria, com oferta de bolsas de desenvolvimento tecnológico no valor de R$ 1.100,00. Durante o processo, o candidato receberá suporte técnico por meio de consultorias/mentorias, treinamentos, workshops e networking, direcionados em cinco eixos (Empreendedor, Mercado, Gestão, Capital e Tecnologia) visando à formação de empreendedores e negócios capazes de atuar no mercado de base tecnológica. Estão participando profissionais com formação superior, com propostas de projetos de inovação e/ou criação de empresas de base tecnológica (Startups), que resolvam demandas do comércio/economia local. O foco dos projetos é o da inovação para a competitividade.

49 visualizações