Capacitação em Educação Inclusiva é debatida na Câmara

A proposta é promover uma política pública que inclua a formação permanente dos profissionais da educação e de outros setores no âmbito da educação especial

Foto: Wellington Rangel


O secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres, e o presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara Municipal, vereador Leon Gomes, promoveram reunião, nesta segunda-feira (22), no Plenário do Legislativo, sobre Capacitação em Educação Inclusiva na rede municipal de ensino. A proposta é promover uma política pública que inclua a formação permanente dos profissionais da educação e de outros setores no âmbito da educação especial.

Também participaram do encontro a diretora de Relações Institucionais da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), Ludmila da Matta; coordenadora do Programa Saúde na Escola (PSE), Catia Mello, e equipe técnica; superintendente da Escola Municipal de Gestão do Legislativo (Emugle), Eliene Silva; coordenadora da Educação Inclusiva da Seduct, Carolina de Freitas do Carmo, representantes de universidades e professoras de salas de recursos.

“A gente acredita muito nessa agenda, que envolve um conjunto de ações articuladas e diferentes etapas. Algumas delas já estamos iniciando. Uma demanda que temos recebido constantemente diz respeito ao retorno dos mediadores para atuarem nas salas de recursos. Trata-se de uma questão pertinente que nossas equipes já estão estudando para viabilizar, em parceria com as universidades”, disse Marcelo.


O secretário listou diversos projetos da Seduct em andamento que também contemplam os estudantes com necessidades especiais, como, por exemplo, Programa Família na Escola, PSE, Projeto Estação Educação, as próprias salas de recursos, entre outros. Além disso, diversos cursos foram ministrados este ano pelo Departamento de Educação Especial Inclusiva da Secretaria. Marcelo destacou, ainda, a Escola de Formação de Educadores Municipais (EFEM) que está sendo criada no âmbito da Subsecretaria de Ciência e Tecnologia.

“Estamos iniciando um outro projeto – PAE Acessível - que visa à produção de conteúdos digitais no Portal de Aprendizagem Eficiente (PAE). A princípio, conseguimos dois intérpretes de libras para isso. Por meio dele, os vídeos pedagógicos estão sendo adaptados para a Língua Brasileira de Sinais”, afirmou o secretário.


Leon Gomes também é membro da Comissão dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Legislativo Campista, e falou sobre a proposta. “O intuito é alinhar a parceria entre a Secretaria de Educação, o Legislativo, as universidades públicas e privadas, para avançarmos com essa agenda em Campos. É importante aumentar o número de mediadores nas escolas, com a presença de estagiários dos cursos de Pedagogia, aumentar a acessibilidade, pois visitei a Escola Sagrada Família, por exemplo, e constatei que a Prefeitura ficou sem fazer manutenção por anos lá. A Igreja Católica cede o espaço, a Prefeitura não pagava aluguel e, ainda, assim, não houve melhorias na estrutura”, comentou o vereador.


A rede municipal de ensino dispõe de 32 salas de recursos e atende cerca de 850 estudantes com necessidades educacionais especiais nas escolas e creches municipais. Nesse período de pandemia, eles estão recebendo atividades de forma virtual tanto do professor regular quanto do professor da Sala de Recursos. São atividades adaptadas para cada aluno respeitando suas especificidades. Os professores entregam material físico e fazem atendimento on-line.


Reportagem: Kamilla Uhl

24 visualizações