Cidade da Criança contará com Jardim Sensorial para estimulação da aprendizagem




A Cidade da Criança Zilda Arns vai contar com um Jardim Sensorial que vai proporcionar a estimulação dos cinco sentidos de crianças típicas e atípicas, auxiliando no processo de ensino-aprendizagem. Além de ser um espaço de bem-estar e lazer, será um ambiente composto por boa variedade de plantas e estruturado com o propósito de oferecer, aos visitantes, estímulo do tato, visão, olfato, paladar e audição, pois permite às pessoas tocarem nas plantas para sentirem suas texturas, formas, cores, tamanhos e aromas.


Segundo a coordenadora de Ciências da Natureza e Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), Ísis Vivório, o serviço vai contemplar não somente os alunos da rede municipal de ensino que frequentarem a Escola de Aprendizagem Inclusiva, por meio de agendamentos feitos pelas unidades escolares, durante a semana, mas também, a população em geral que visitar o parque nos finais de semanas e feriados, sejam crianças ou adultos.


“É destinado à comunidade em geral e, também, às pessoas com limitações físicas (pessoas cegas, com baixa visão e cadeirantes. Serão utilizadas espécies de plantas que despertem os sentidos e façam com o que alunos - com deficiência ou não - participem das atividades juntos. O Jardim terá, ainda, uma cascata com água para mostrar o barulho e a importância desse recurso para a sobrevivência das plantas”, explicou Ísis.


Para ela, o Jardim é um espaço vivo que desperta o interesse, a curiosidade e o aprendizado das crianças. Cada conjunto de vasos vai estimular os sentidos da seguinte forma: a visão, com flores coloridas; olfato, com ervas aromáticas; tato, com plantas de formatos e texturas diferentes e também a fonte d´água; paladar, com ervas comestíveis, em sua maioria temperos; audição, cujo estímulo é oferecido em pontos diferentes do jardim, pelos sons da água da fonte, do pequeno sino na entrada da pérgola, dos pássaros presentes na área e do ato de caminhar sobre as diferentes texturas da Trilha Sensorial dos Pés.


“O visitante terá a opção de permanecer caminhando pela passarela de concreto ou, então, caminhar descalço pela Trilha Sensorial dos Pés, onde estarão depositadas texturas diferentes. Para as pessoas impedidas de caminhar, por limitações físicas, por exemplo, ou que não quiserem caminhar descalças, as plantas, com suas diferentes texturas, também estarão ao alcance das mãos”, informou a coordenadora. O espaço está em fase de implantação e será lançado em breve.



38 visualizações