top of page

Diálogo da Educação com a Patrulha Escolar da PMERJ avança




A subsecretária de Educação, Rita Abreu, participou de mais uma reunião do Conselho Educacional de Segurança, organizado pelo Programa Patrulha Escolar da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), que visa à proteção nas escolas públicas e particulares de Campos. Também participaram do encontro representantes da Ronda Escolar da Guarda Civil Municipal, diretores de escolas municipais, estaduais e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFF) Campos Guarus. A reunião aconteceu na Escola Estadual José do Patrocínio nesta quinta-feira (21).


“Os diretores apresentaram as principais dificuldades encontradas na segurança das escolas e ficou acordado que a Polícia Militar fará uma comissão com cada representante dessas entidades e de escolas públicas e particulares, a fim de traçar metas para reduzir as ocorrências nesses ambientes de ensino”, explicou Rita.




O programa Patrulha Escolar visa reforçar o contato direto da corporação com a comunidade escolar, inclusive no período noturno e aos sábados. Os agentes contam com telefones específicos, disponíveis para recebimento de ligações e mensagens através de aplicativos, para o contato direto dos gestores das unidades de ensino com os policiais responsáveis pelo atendimento em cada área. As viaturas estão caracterizadas com uma faixa dourada na lateral e os policiais usam braçais específicos com o emblema do programa.


A Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) continua monitorando as unidades escolares da rede municipal de ensino em parceria com a Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e a Polícia Civil, a fim de garantir a segurança de alunos e profissionais das escolas e creches.


Ações




As unidades escolares da rede municipal de ensino são orientadas pela Seduct a solicitarem apoio das forças de segurança pública sempre que necessário. As equipes da Guarda Civil Municipal realizam o patrulhamento diariamente, para inibir atos ilícitos no entorno e interior da unidade; mediar conflitos na unidade escolar; comunicar aos órgãos de proteção competentes se estiver ocorrendo atentados contra as garantias estabelecidas às crianças e adolescentes; ministra palestras e atividades lúdicas, atendendo às necessidades de cada unidade, atribuindo à realidade e momento vivenciados em suas respectivas comunidades, trabalhando temas como boa convivência social, bullying, entre outros.




O secretário de Educação, Marcelo Feres, destacou que, por meio do Programa Saúde na Escola (PSE), a Seduct também desenvolve o projeto “Entendendo a Violência Para Prevenir, Proteger e Promover Saúde"; o projeto “Escola Protetora da Mulher”; o projeto “Construindo Valores nas Escolas”; e o projeto “Tudo Bem Se Emocionar”, entre outros.


Este ano, as unidades estão recebendo um outro projeto chamado Maria da Penha vai às escolas, com palestras realizadas por profissionais de psicologia e assistente social, em parceria com o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) e a Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, abordando temas como relacionamentos abusivos, mercado de trabalho, sobrecarga de trabalho, cuidados com os filhos, rede de apoio, família, e saúde mental.



50 visualizações

Comentários


bottom of page