Diálogo entre Apape e Educação na construção da Escola de Aprendizagem Inclusiva




A Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) continua dando passos importantes na construção de uma educação especial inclusiva efetiva na rede municipal de ensino. O secretário da pasta, Marcelo Feres, segue dialogando com diversas instituições de referência no atendimento a pessoas com transtorno do espectro autista (TEA). Desta vez, ele reuniu-se com a presidente da Associação de Pais de Pessoas Especiais do Norte e Noroeste do Rio de Janeiro (Apape), Naira Regina Peçanha, e com a psicopedagoga da instituição, Viviane Cordeiro. Ele apresentou o projeto de construção da Escola de Aprendizagem Inclusiva da Seduct.


Marcelo demonstrou interesse em receber apoio da Apape visando construir um fluxo de avaliação dos alunos com necessidades educacionais especiais das escolas municipais que necessitam da intervenção de um mediador. O encontro aconteceu na sexta-feira (9) na Secretaria de Educação e contou com a presença da assessora técnica da Seduct, Catia Mello, e da coordenadora do Departamento de Educação Especial Inclusiva, Carolina Carmo.


“A Escola de Aprendizagem Inclusiva (Clínica Escola do Autista) será implantada na Cidade da Criança e do Futuro, que passou a ser administrada pela Seduct este ano. Será construída com apoio da deputada federal Clarissa Garotinho e do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), com recursos do orçamento da União e emendas parlamentares, visando ofertar serviços para o desenvolvimento neuromotor desse público. Ações conjuntas para o atendimento a crianças com Transtorno do Espectro Autista serão desenvolvidas também em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, a fim de garantir um diagnóstico precoce, visando a um tratamento eficaz e favorecendo, com isso, o processo de ensino-aprendizagem", explicou Feres.


Para Naira, a Educação Inclusiva é um processo de aprendizagem e tem como papel atender as necessidades educativas especiais de todos por meio da disponibilização de serviços qualidade, recursos de acessibilidade, recursos pedagógicos e estratégias que possam eliminar as barreiras para sua participação na sociedade e seu desenvolvimento. Segundo ela, a APAPE atende 389 usuários com deficiência, além de suas famílias. Desse total, 183 estão matriculados na rede municipal de ensino.


“Viemos conhecer o projeto da Secretaria de Educação para que a gente possa estreitar essa relação, pois temos 183 usuários matriculados nas escolas municipais, no ensino regular, e é muito importante alinharmos nossos pensamentos. O projeto que a Seduct está buscando é para que a inclusão realmente se efetive na educação. Já temos um processo acontecendo ao longo dos anos. E agora nesse novo momento em que estamos passando, o governo apresentou um projeto diferenciado, está realmente se propondo a atingir esse objetivo, e isso vai fortalecer um trabalho que já existe. Precisamos de novas estratégias e essa Escola dará esses instrumentos para que a educação inclusiva de fato aconteça em Campos. Eu acredito muito nesse projeto. Muito diálogo ainda vai acontecer e estamos à disposição para crescermos juntos”, acrescentou Naira.






APAPE e Prefeitura



A Apape tem parceria com a Prefeitura de Campos por meio da Fundação Municipal da Infância e Juventude, através do Conselho Municipal de Promoção dos Direitos da Criança e Adolescente (CMPDCA), por meio do qual atende 60 crianças e adolescentes com TEA. Também tem parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social, por meio do qual desenvolve um trabalho voltado ao acolhimento das famílias, oficinas lúdicas, psicomotoras e sensoriais, ações para o fortalecimento de vínculos e tantas outras atividades. Por meio da Secretaria de Saúde, também acontece um trabalho visando o atendimento integral dos assistidos, através de atendimentos médicos, de nutricionistas, fisioterapeutas, entre outros profissionais


Além disso, a Prefeitura doou para a instituição este ano, um terreno que fica ao lado da unidade para a construção da nova sede da APAPE, entre as ruas Saldanha Marinho e João Guimarães, por meio da Lei 9.135/22, sancionada em 19 de abril.


16 visualizações