top of page

Educação, Saúde e Desenvolvimento Humano discutem evasão escolar



Com o objetivo de traçar estratégias de forma integrada para combater a evasão escolar na rede municipal de ensino, a subsecretária de Educação, Rita Abreu, e uma equipe da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) se reuniram com representantes das secretarias de Saúde e Desenvolvimento Humano e Social. O encontro aconteceu na manhã desta terça-feira (2), na sede da secretaria de Educação.


A subsecretária ressaltou que serão criadas propostas a serem publicadas em uma Portaria no Diário Oficial do município. Durante a reunião, foram apresentadas sugestões que serão analisadas e apresentadas em uma nova reunião prevista para a próxima semana.


“Estamos criando uma integração entre essas três secretarias para que juntos possamos entender melhor os motivos que levam à evasão escolar e estudarmos alternativas para combater esse problema na nossa rede. Vamos estabelecer um fluxo de ações, prazos e responsabilidades de cada órgão para que, de forma integrada, possamos encontrar soluções”, disse Rita.


A diretora de supervisão, Kaline Martins Rangel, ressaltou a importância do trabalho integrado. “A evasão escolar não pode ser analisada de forma isolada, deve ser compreendida em suas multidimensões, analisando os reflexos e consequências da evasão na sociedade como um todo”, acrescentou Kaline.


A coordenadora do programa Bolsa Família na Seduct, Silvia Teixeira, explicou que uma das causas da evasão está relacionada a problemas de saúde e desmotivação. Ela disse ainda que a evasão é verificada a partir da Ficha de Comunicação de Aluno Infrequente (FICAI), que visa estabelecer o controle da infrequência e do abandono escolar de crianças e adolescentes. O serviço é fruto de parceria firmada com o Ministério Público Estadual, os Conselhos Tutelares e a Seduct.


“Através da Ficai os gestores das unidades escolares informam a infrequência dos seus alunos para que um professor-articulador faça as intervenções e os contatos com as famílias. Quando não há sucesso nas intervenções, as unidades encaminham os casos ao Departamento de Serviço Social da Seduct, que convoca os pais ou responsáveis, promove visitas domiciliares, encaminha para os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), entre outras medidas, visando ouvir, apoiar, orientar os pais e identificar possíveis necessidades ou demandas que possam estar inviabilizando o comparecimento à escola", ressalta Sílvia.


Representando o Desenvolvimento Humano e Social, Paulo Ricardo Vieira, falou sobre a participação da secretaria no processo de combate à evasão. “Assim que recebermos o mapeamento das escolas vamos buscar as famílias dos alunos evadidos e pedir que procurem a unidade escolar”, ressaltou Paulo.


Já a representante da secretaria de Saúde, Hellen Lacerda de Araújo, disse que a entidade atuaria como uma espécie de ponte para auxiliar no atendimento do aluno. “Vamos estabelecer um fluxo para agilizar o acesso desse estudante às consultas e exames”, finalizou.


Também participaram da reunião a Coordenadora do Ensino Fundamental, Anos Finais, Ana Márcia Scot; a coordenadora do Setor Multiprofissional, Adriana de Lima Gonçalves; a assessora técnica do Departamento Jurídico da Seduct, Daniele Miranda; além de Robson Braga, da Subsecretaria de Educação.



76 visualizações

Comments


bottom of page