Educadores participam do webinário Campos, Identidades, Memórias e Histórias

No ano letivo de 2022 haverá novas vagas para a capacitação, que tem formato de webinário e faz parte do projeto de formação continuada da Seduct

Foto: Reprodução


A Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), em parceria com a Oficina de Estudos do Patrimônio Cultural e o Polo Arte na Escola, ambos projetos de extensão da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF), realizou nos dias 24, 25, 26 e 27 do mês passado, a 22ª edição do curso Campos, Identidades, Memórias e Histórias. No ano letivo de 2022 haverá novas vagas para a capacitação, que tem formato de webinário e faz parte do projeto de formação continuada da Seduct. Destinado aos profissionais de educação da rede pública municipal, o evento online é gratuito e aberto ao público em geral.

“A partir da Secretaria de Educação que este curso existe. O curso Campos, Identidades, Memórias e Histórias tem 11 anos e foi forjado dentro da formação continuada no tempo em que a gente tinha como coordenadora a Marluce Guimarães, que é uma referência em educação patrimonial. A partir de então, em 2004, eu assumi este curso, que é realizado duas vezes por ano. E estamos na 22ª edição, a quarta online. O curso é feito para o professor do ensino fundamental da rede municipal e ele abre frente para outros públicos. Neste período online nós abrimos para outras pessoas e foi muito importante esta abertura”, destaca a professora de História da rede pública municipal e coordenadora do curso, Carmen Eugênia Sampaio.

“Visa à formação de educadores da rede municipal para noção de pertencimento e identidade em relação à educação patrimonial local, com enfoque para a história, para a memória, para a tradição, para a formação desta identidade a partir dos primeiros anos de escolaridade. O primeiro momento era dar foco ao quarto e quinto ano em que a matéria abordada de História e Geografia destacava o território. Depois nós expandimos a necessidade de que este conhecimento geográfico e histórico da educação patrimonial se estendesse para outros segmentos e abrisse um leque de possibilidades para o professor buscar identidades nestes estudantes e dar significado à matéria”, considera Carmen.

Segundo ela, cada edição do Campos, Identidades, Memórias e Histórias tem um recorte histórico. “Este último, o vigésimo segundo, nós fechamos este ano com Ditadura militar em Campos dos Goytacazes e abordamos nestes quatro dias a Comissão Nacional da Verdade; no segundo dia, falamos em Educação Patrimonial e Ditadura, a história dos documentos, a história dos prédios, a história dos referenciais de patrimônio educacional; no terceiro dia, sobre resistência, falamos da União Nacional dos Estudantes (UNE), da Liga Camponesa, dos partidos, dos movimentos, de vários segmentos da igreja e da população civil e segmentos políticos que vão lutar contra a ditadura. No último dia, trabalhamos com depoimento de pessoas que passaram por aquele momento. E tudo está disponível no YouTube do Grupo Officina Cultural da UENF”, informa Carmen.


Simone Pessanha, vice-diretora da Creche Municipal Wilson Amaro de Freitas, participou do webinário e elogiou: “Para nós educadores, que queremos formar cidadãos críticos e participativos, estes cursos são de extrema importância na perspectiva da educação patrimonial, de valorização da história local, o reconhecimento dos valores históricos e o pertencimento. Somente a memória fará com que a verdadeira história permaneça concreta”, afirma Simone.


Reportagem: Wesley Machado

12 visualizações