top of page

Escola de Aprendizagem Inclusiva é referência para Porciúncula



A Escola de Aprendizagem Inclusiva (EAI) recebeu, nesta segunda-feira (4), a visita da coordenadora da Educação Especial de Porciúncula, Flávia Ramos, que representou a secretária de Educação do município, Fernanda Monteiro de Avelar. Ela veio acompanhada da coordenadora do Centro Integrado de Atendimento ao Excepcional (Ciame), Ana Luísa Simões Coutinho, e a coordenadora do Centro Integrado aos Autistas de Porciúncula (Ciaap), Priscila Ferreira França.


Elas foram recebidas pelo secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres, e pela diretora da EAI, Eleonora do Nascimento. Durante toda a manhã, elas conheceram o funcionamento da EAI, as salas de braille, Libras, Gestão e estoque de materiais pedagógicos. O secretário explicou que, quando surgiu a ideia de criar a escola, ele buscou referências em cidades como Rio de Janeiro e Brasília e, aos poucos, foi adequando às necessidades do município.


“A meta era desenvolver um trabalho coletivo, atendendo a crianças típicas e atípicas, ou seja, contribuindo para a inclusão. Hoje, temos 126 alunos e atendemos de 2 a 8 anos. Importante destacar que as crianças só participam das atividades se estiverem acompanhadas dos pais, pois entendemos que o trabalho deve ser feito não só com a criança, mas também com seus responsáveis. A EAI era um sonho que conseguimos realizar e não vamos parar por aqui, temos muito ainda por fazer”, afirmou o secretário.


Flávia Ramos explicou que conheceu a EAI no encontro de secretários da região, realizado no mês passado na Escola de Formação dos Educadores Municipais (Efem). Ela explicou que os dois centros atendem 150 alunos especiais com terapia e também a parte pedagógica. Ao todo, em Porciúncula, a coordenadora acredita que tenha 250 crianças com necessidades especiais. A Rede Municipal tem 2.100 alunos e 11 escolas.


"Queremos ampliar esses espaços e incluir outros atendimentos. Achamos a ideia da Escola de Aprendizagem Inclusiva muito interessante e resolvemos conhecer para analisar o que pode ser absorvido pelo nosso município. Nossa única referência é a cidade de Petrópolis, pois, na região, ainda não tínhamos exemplos de Educação Inclusiva, como estamos vendo aqui em Campos”, explicou Flávia.


Eleonora destacou que a EAI completou 1 ano em outubro e tem oferecido aos alunos um suporte pedagógico estruturado com musicalização, Braille e Libras. “Na escola, a criança é assistida duas vezes por semana, por duas horas e seus pais, ao esperarem por elas, passam por rodas de conversas onde são informados sobre os direitos de seus filhos, sobre suas realidades, saúde, qualidade de vida e temas pertinentes à vida no dia-a-dia”, disse Eleonora.





Na ocasião, o aluno Heytor Mendes, 5 anos, representou a turma da manhã e presenteou o secretário com desenhos de uma árvore de Natal e presépio. Após a visita, o secretário promoveu reunião com os profissionais que atuam na EAI.



50 visualizações

コメント


bottom of page