Escola do Jóquei vai receber projeto de ampliação e integração com área esportiva


O secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), Marcelo Feres, e o secretário Municipal de Planejamento Urbano, Mobilidade e Meio Ambiente (SPUMM), Cláudio Valadares, visitaram a Escola Municipal Professora Wilmar Cava Barros, no Jóquei, esta semana, a fim de desenvolver um projeto de ampliação e integração entre os espaços da quadra de esportes e o prédio principal. Atualmente, os dois espaços se encontram em terrenos distintos, separados por uma rua de pouca movimentação. “Viemos analisar a situação real para integrar os dois espaços da unidade, pois há uma rua no meio, quase inutilizada por veículos, que dificulta o acesso e uso pelos alunos da escola, já que, para retirar os alunos do ambiente escolar é preciso autorização dos pais ou responsáveis. Além disso, se estiver chovendo, os alunos precisam atravessar a rua na chuva. A quadra já pertence à escola. Se integrarmos os dois ambientes, vamos garantir mais segurança, conforto e ganharemos mais espaço para ampliar a escola e aumentar o número de vagas, podendo matricular novos estudantes”, justificou o secretário de Educação. Eles estavam acompanhados da assessora técnica da Seduct, Catia Mello; da urbanista, arquiteta e coordenadora de projetos da SPUMM, Lidia Martins; e do diretor da unidade escolar, Diego Pani. Segundo Valadares, a ideia é apresentar um projeto de lei na Câmara Municipal para regularizar a situação da rua. “Não vemos nenhum tipo de prejuízo quanto à questão da mobilidade local. Integrar a escola à área esportiva só vai agregar valor para a Educação e para a comunidade”, avaliou. “O prédio é muito limitado, não temos área de convivência. Queremos amplia-lo para criar um refeitório e o número de salas. Será a realização de um sonho antigo. Essa gestão vem fazendo um trabalho sério e bem feito, e com isso, a gente cria novas esperanças e energia para continuar trabalhando. Só tenho a agradecer por essa comunidade local”, afirmou Diego. Lidia acrescentou que a proposta é viabilizar, ainda, um projeto da acessibilidade. “Queremos trazer este olhar da arquitetura para área da educação e promover uma arquitetura inclusiva, num espaço que abrigue a todos, sem distinção. Vamos trabalhar para transformar essa unidade em uma escola modelo na área da arquitetura inclusiva”, destacou.

9 visualizações