Escola Pequeno Jornaleiro recebe projeto “O Arquivo vai à Escola”



O projeto “O Arquivo vai à Escola”, ação do Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, equipamento administrado pela Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL), teve sua primeira edição de 2022 realizada nesta quarta-feira (08), na Escola Municipal Pequeno Jornaleiro, no Centro. A ação é fruto de uma parceria da FCJOL com a Secretaria de Educação Ciência e Tecnologia (Seduct). A ação está inserida na VI Semana Nacional de Arquivos – evento que acontece todos os anos integrando a área de arquivos públicos e privados no Brasil –, por meio do Conselho Nacional de Arquivos (Conarq – Arquivo Nacional). A ação do Arquivo é voltada para escolas da rede municipal de ensino, em especial, para turmas do Fundamental I – 4º e 5 anos, tendo em vista o apelo existente no currículo do município sobre ações que versem sobre a história regional. A dinâmica desta quarta-feira foi conduzida pela assessora técnica do Arquivo, Larissa Manhães. “O projeto ‘O Arquivo vai à Escola’ é um dos pioneiros do Arquivo, no campo da itinerância e educação patrimonial. Considero de extrema importância que nossos alunos sejam apresentados cada vez mais cedo aos valores histórico-culturais do nosso município. Aguçar esse olhar é criar raízes profundas com o nosso patrimônio e reforçar laços de identidade do ser campista”, observa a coordenadora do Arquivo Público, Rafaela Machado. “Educação e cultura sempre caminham juntas e, justamente por isso, nossa equipe do Arquivo Público iniciou a retomada do projeto em que escolas são visitadas. Fico muito feliz e espero que nossas crianças se apaixonem por nossa história, pois quem conhece suas raízes, luta pela preservação das mesmas”, destaca a presidente da FCJOL, Auxiliadora Freitas. O secretário de Educação, Marcelo Feres, parabenizou a equipe da FCJOL pela organização da programação e por não permitir que a história local seja esquecida. “Tem sido muito importante poder contar com a parceria da Fundação nesse processo de envolvimento dos nossos alunos da rede municipal de ensino em ações e projetos culturais que evocam, atualizam e preservam a memória do nosso povo. O processo educativo não acontece apenas no ambiente escolar, ao contrário, a cultura é grande aliada no processo de ensino-aprendizagem, pois educação e cultura são universos entrelaçados”, afirma Marcelo. A diretora pedagógica da Seduct, Tânia Alberto, também observou a importância do projeto “O Arquivo vai à Escola”. “Quando falamos da história local é importante destacar o papel desempenhado pela escola na formação humana integral e cidadã. Nesse sentido, propostas que levem os alunos a conhecerem a memória da cidade através de seus arquivos históricos trazem benefícios em relação à preservação e valorização do patrimônio público bem como para a compreensão de que somos parte da história”, disse. PRÓXIMAS ATIVIDADES – Nesta quinta-feira (09), o projeto visitará a Escola Municipal Sagrada Família. Na sexta-feira (10), grupos das duas escolas participantes do projeto visitarão a exposição “Cinco séculos de história: o açúcar e a formação histórico e cultural dos Campos dos Goytacazes”, que celebra os 21 anos do Arquivo Público, montada no Palácio da Cultura.

5 visualizações