Escolas mostram criatividade em projetos na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia


As escolas municipais deram um show de criatividade na IX Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, aberta na quarta-feira (19), no Jardim São Benedito pelo prefeito Wladimir Garotinho e pelo secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres. Na maioria das unidades, a preocupação com o meio ambiente foi a tônica dos projetos. O evento terminou nesta sexta-feira (21), às 16h. Na Escola Municipal Frederico Paes Barbosa, foram apresentados quatro projetos que visam o cuidado com o meio ambiente, pegando como gancho a frase célebre de Lavosier: "Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma". A professora da unidade, Walquiria Rangel, contou que as ideias são interligadas e vão desde a compostagem ao uso de materiais como pneus e embalagens que se transformaram em brinquedos e objetos como puffs, até os chás medicinais. "Estamos trabalhando com a ideia de que o mundo já está cheio de lixo e nós precisamos mudar isso. Pegamos embalagens de achocolatados e as transformamos em robôs, madeiras e papelão viraram mesa de ping pong. Ainda tem a compostagem mostrando que cascas de alimentos podem virar adubo e a prática de chás medicinais para reduzir a quantidade de remédios. É um olhar diferente para o mundo", explicou a professora. No stand da Escola Municipal Eloy Ornelas, o meio ambiente também inspirou três projetos. Entre eles o de purificação de água através de plantas, o Casa Verde e o de tratamento de esgoto alternativo. "Os alunos utilizaram uma planta conhecida como junco dágua, que retira as impurezas do esgoto e devolve à natureza uma água limpa, evitando a contaminação do solo e que pode ser usado em locais onde não há tratamento de esgoto. A Casa Verde que usa energia solar, tem o teto e as paredes cobertas por plantas, o que reduz o calor e o esgoto alternativo onde o hidróxido, utilizado para retirar as impurezas, é produzido por eletricidade reduzindo gastos e a poluição da água" explicou a professora Marina de Oliveira. Já na tenda da Escola Municipal Luiz Sobral, a tônica do projeto foi mostrar os efeitos robóticos na Óptica Arte à luz da física. Usando um motor de ventilador, eles criaram uma ilusão de ótica em uma obra de arte. "É a arte e a robótica como ferramenta do estudo da física. Fizemos a garimpagem de material descartável e criamos um trabalho robótico em cima desses materiais. A inspiração para o projeto, que une arte conceitual com ilusões e movimentos, parte das obras de Sacilotto, entre outros artistas. A gente trouxe a arte como ferramenta para o estudo da física”, detalhou o professor Luiz Carlos Soares.

10 visualizações