Estação Educação implantará mais três salas-estúdio na rede municipal


Mais três salas-estúdio do Projeto Estação Educação estão em fase de implantação e serão inauguradas em breve. As próximas unidades a serem contempladas são: Escola Municipal Albertina Azeredo Venâncio, em Travessão; Escola Municipal Amaro Prata Tavares, Centro; e CIEP Wilson Batista, em Guarus. De acordo com o secretário Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres, as três escolas já receberam os equipamentos do Programa. “Já entregamos quatro salas-estúdio: na escola Getúlio Vargas, em Tocos; Escola Municipal Maria Lúcia, no Parque Turfe Clube; Creche João Perdecene Neto, Lapa; e na sede da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct). Vamos continuar avançando. O projeto visa à gravação e edição de vídeos educacionais produzidos pelos departamentos, escolas e coordenações da Secretaria”, informou o secretário. O diretor de Mídias Digitais da Secretaria, Welliton Rangel, explicou que o projeto envolve a gravação de vídeoaulas dos diversos componentes curriculares da Educação Infantil, Ensino Fundamental Anos Iniciais e Finais e EJA. O objetivo é criar um acervo de materiais didático-digitais interativos e dinâmicos, com abordagens metodológicas dialogadas, contextualizadas e problematizadoras, que sirvam como instrumentos potencializadores das aprendizagens sistematizadas e formalizadas nas escolas e para além delas, estando ao alcance de toda comunidade educativa e de todos aqueles que desejarem. “Ao todo serão 13 salas-estúdio preparadas com 24 câmeras, iluminação, microfone e outros recursos, nas unidades escolares selecionadas, para que os professores apresentem conteúdos previstos para cada semana de aula, por meio de “estações”, separadas por níveis educacionais. As novas tecnologias chegaram para ficar e nossas escolas não podem ficar para trás”, explicou Welliton. A coordenadora pedagógica do projeto, Neidimar Abreu, lembrou que as vídeoaulas e todo o conteúdo pedagógico produzido na sala-estúdio será divulgado para toda a rede municipal de ensino e poderá ser aproveitado nas demais unidades escolares. “Esse é um projeto que visa ampliar as fronteiras da Educação e garantir outras possibilidades do processo de ensino-aprendizagem, com conteúdos autorais dos próprios profissionais da Educação de Campos”. De acordo com a coordenadora pedagógica, o professor poderá fazer uso de diferentes materiais para preparar suas aulas e gravações dos diversos componentes curriculares, mas o conteúdo didático-pedagógico que norteará o trabalho será disponibilizado pela Secretaria. "As aulas preparadas pelos professores selecionados têm caráter inovador, com utilização das tecnologias digitais da informação e comunicação, metodologias ativas, como também, materiais concretos, histórias, entre outros instrumentos didáticos”, disse Neidimar.

2 visualizações