top of page

Faculdade de Medicina inicia estudo sobre doença renal em professores municipais





A Faculdade de Medicina de Campos (FMC) está promovendo uma pesquisa científica a respeito da prevalência de doenças renais em professores da rede municipal de ensino, em parceria com a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct). O objetivo é fazer uma busca ativa dos casos e proporcionar que os servidores façam o tratamento precoce. Serão contemplados educadores a partir de 35 anos.


“Os responsáveis pelo estudo estão entrando em contato com os gestores escolares, por meio do telefone institucional. Aqueles que desejarem participar, deverão responder diretamente à equipe da Faculdade, que irá orientá-los quanto aos próximos passos. Os interessados deverão comparecer na FMC para realizarem testes de urina que mostrarão a possível incidência da doença nesse grupo de profissionais”, informou o coordenador do Programa Saúde na Escola (PSE), João Paulo Oliveira.


A orientação do projeto é da professora Lara Vianna de Barros Lemos e a pesquisa conta com participação dos acadêmicos João Paulo Gomes Barreto de Moura, bolsista do Programa Institucional de Iniciação Cientifica (PIB/FMC) e Renata Baptista de Sant'Anna, voluntária do PIB. Os dois são estudantes do 7° período do Curso de Graduação em Medicina da Faculdade.


O objetivo do trabalho é levantar a suspeição diagnóstica e de elementos agravantes, de forma precoce para que o paciente possa realizar um tratamento adequado, evitando consequências mais graves como a necessidade de hemodiálise.


“A doença renal crônica é uma patologia que afeta indivíduos ao longo de meses ou anos, trazendo problemas graves de lesão renal e perda da filtragem glomerular. Comorbidades como hipertensão arterial e diabetes frequentemente se apresentam como fatores agravantes. Tem como fatores de risco, a idade, sexo obesidade, tabagismo e doenças nefrotóxicas", explicou João Paulo Gomes.


54 visualizações
bottom of page