top of page

Financiado pela Petrobras, Navegando na Poesia promove reunião de alinhamento





Cerca de 15 diretores e vice-diretores participaram nesta sexta-feira (17) de uma reunião de alinhamento para o ano letivo de 2023 do projeto Navegando na Poesia, na Cidade da Criança Zilda Arns. De acordo com a coordenadora de projetos da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) Neidimar Abreu, o objetivo do encontro foi apresentar o Navegando na Poesia, os resultados obtidos ano passado e, dessa forma, buscar o cadastramento dos estudantes.


“A partir das informações passadas queremos que os diretores e vice-diretores se envolvam no projeto e levem para os professores e alunos esse encantamento, essa emoção de fazer parte dessa proposta inovadora e que desperta a criatividade de nossas crianças. É importante que todos possam participar de forma ativa”, disse Neidimar.


A coordenadora do projeto, Rachel Carvalho, contou que o cadastramento das crianças é importante para que as equipes se organizem e preparem os kits necessários para o trabalho e para o desenvolvimento do programa. Ela explica que o objetivo do Navegando na Poesia é promover o acesso à leitura e à escrita por meio de atividades lúdicas e participativas nas escolas públicas, levando em consideração a cultura local e regional. O projeto é financiado pela Petrobras, desenvolvido pela Associação Raízes e voltado para estudantes dos 3º e 4º anos.


“Estamos aqui para estreitar as relações com as escolas e mostrar que a gente não trabalha apenas realizando oficinas, trabalhamos com a emoção e queremos despertar o encantamento entre os alunos, despertando neles o gosto pela leitura e escrita. Estamos muito agradecidos à Seduct por essa ajuda. Ano passado tivemos cerca de 500 crianças cadastradas”, contou Rachel.


A vice-diretora da Escola Municipal Alcebíades Candiano, situada em Ponta da Lama Tatiany Toledo, disse que o projeto foi desenvolvido na unidade no ano passado e as crianças aprovaram a ideia e ficaram motivadas. “Eles amaram. Ficavam esperando ansiosos os dias das oficinas. No final, alguns deles participaram do livro de poesias que o projeto lança e se sentiram importantes, representados”, conta Tatiany.


A diretora do Ciep Carmem Carneiro, Josiane Almeida Lopes, também ficou satisfeita com o Navegando na Poesia. “Os alunos passaram a ler mais, a gostar de escrever. E eu ainda tenho um relato pessoal. A filha da minha enteada entrou para o projeto e passou a se interessar pela leitura e começou a escrever. Hoje, ela já está escrevendo o terceiro livro. Foi um incentivo gigantesco para que esse interesse fosse despertado nela”, contou Josiane.

42 visualizações
bottom of page