Gestores da Educação e da Saúde esclarecem dúvidas de diretores de creches e escolas





O secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres, e o subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde, Rodrigo Carneiro, participaram hoje, de forma remota, de uma reunião com diretores de escola e creches da rede municipal de ensino. O objetivo foi esclarecer pontos de dúvidas sobre a atualização do plano de retomada das aulas presenciais. O Plano de Retomada está disponível no portal do Programa de Aprendizagem Eficiente (PAE), acessível a todos os gestores escolares e à população em geral (AQUI).


Também participou da reunião a assessora técnica da Seduct, Cátia Mello. Feres ressaltou a importância de compartilhar as informações para manter a segurança dos alunos e salientou ainda que o uso de máscara é uma recomendação e não uma obrigatoriedade.


“O ambiente escolar continua sendo um local seguro contra a Covid. Com as orientações dos professores e demais profissionais da rede, medidas preventivas, vacinação e testagem, além de outras medidas, a Secretaria de Educação está ajudando a combater a proliferação do coronavírus. Não é a primeira vez que fazemos uma atualização do plano. Em abril também revisamos o documento. Estamos atentos às necessidades das escolas, às regras de vida e às condições epidemiológicas de cada”, afirmou Marcelo Feres.


Rodrigo Carneiro explicou que tem sido feito o melhor acolhimento possível para que não se coloque a saúde das crianças em risco. “Desde o início do ano, conversamos, junto com a Educação, sobre o retorno seguro da volta às aulas. A pandemia é extremamente dinâmica e a gente vai se adequando aos comportamentos do vírus e suas variantes. A gente analisa o cenário junto da Educação para que possa chegar a melhor conduta, a mais segura possível”, pontuou.


O subsecretário disse ainda que o protocolo de retomada das aulas é atualizado periodicamente, sempre passível de mudanças. “Vamos acompanhando para chegar à melhor solução e sempre pensando na segurança dos alunos e profissionais. No início do ano a positividade era de 3% a 6% dos testes. De 8 semanas para cá, o aumento na procura de testes e também da positividade saltou para entre 13% e 15% de positividade, e por isso, fizemos a atualização do plano de retomada”, disse o subsecretário.


Rodrigo falou ainda sobre a importância da vacinação. “A vacina não cria um escudo que impede a pessoa de pegar Covid-19, mas impede os casos graves e reduz a circulação do vírus. Desde março está sendo feita a vacinação itinerante nas escolas e isso ajuda muito na redução de casos”.


Uma das dúvidas foi em relação aos alunos de creches que, por serem muito pequenos, não são testados contra a Covid-19. “Nesse caso, há limitação técnica para coletas de exames, então, a recomendação é dar uma importância maior para os sintomas clínicos das crianças. Nessa época do ano é normal ter crianças com problemas respiratórios. Se for um resfriado comum, sem febre e sem prostração, ela pode continuar frequentando as aulas, usando máscaras. Caso apresente sintomas mais graves é necessário procurar atendimento médico para afastar a possibilidade de contaminação por Covid-19. Nós vamos fazer um manual voltado especificamente para as creches, ou seja, vamos adaptar o protocolo para os alunos da educação infantil”, explicou.


Cátia Mello ressaltou a importância das unidades escolares estarem atentas ao protocolo de retomada das aulas. “O manual é o norteador da escola, então, é importante que todos tenham acesso, imprimam, coloquem à disposição de todos e fiquem atentos às mudanças”, orientou Catia.btítulo: A reunião aconteceu de forma remota visando esclarecer pontos de dúvidas sobre a atualização do plano de retomada das aulas presenciais.



Confiram as mudanças Aqui


164 visualizações