Hospital Ferreira Machado e Educação vão alfabetizar crianças internadas




Uma reunião promovida no final da tarde desta sexta-feira (2) na Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) marcou o início de um novo projeto que pretende inovar e revolucionar. Trata-se do Projeto Educação na Saúde, que visa levar alfabetização para as crianças internadas na pediatria do Hospital Ferreira Machado (HFM), com apoio da Seduct. O secretário de Educação, Marcelo Feres, recebeu o superintendente de Gestão e Planejamento da unidade hospitalar, Gilberto Nunes; superintendente de Faturamento e Finanças, Filipe Mocaiber; e a enfermeira chefe da pediatria, Alice Alves Farias, para tratar do assunto e iniciar as primeiras tratativas.


A medida, segundo Gilberto, tem o objetivo de diminuir a angústia das crianças e amenizar as perdas educacionais provocadas por longos períodos de internação. “Queremos transformar o hospital num ambiente lúdico e acolhedor para essas crianças e desejamos fechar parcerias com órgãos e secretarias que desejam inovar. Estamos pensando e sonhando alto, mas algumas coisas não conseguimos fazer sozinhos. Podemos juntos progredir e isso é bom para todo mundo”, disse.





Da Educação, também participaram do encontro a subsecretária de Educação, Rita Abreu; assessora técnica, Catia Mello; coordenadora da Educação Infantil, Sirlei Artilles; e coordenadora do Ensino Fundamental Anos Iniciais, Verônica Gomes.


“Esse é somente o primeiro passo para grandes parcerias que virão. Temos uma média de 60 crianças internadas por mês na pediatria. Hoje, por exemplo, dia 02, há 18 crianças, sendo 6 de longa permanência. De janeiro a agosto deste ano, nossa taxa de internação revelou que 62% das crianças internadas são de 0 a 3 anos; enquanto 38% são de 4 a 12 anos incompletos. Nossa média de tempo de internação é de 18 dias, mas temos casos de longa permanência de pacientes graves e, por isso, queremos levar o acompanhamento pedagógico para dentro do hospital. Um dos nossos casos gravíssimos está conosco desde fevereiro, e receberá alta em breve. Temos outra criança internada há 4 meses, por exemplo”, informou Alice.





O secretário afirmou que iniciará o planejamento de imediato com o Departamento Pedagógico, a fim de inserir no processo educacional desses pacientes as atividades pedagógicas de forma lúdica, com cadernos digitais, animação cultural e outros recursos. “A educação que estamos desenvolvendo quer expandir fronteiras. Vamos criar estratégias para atender a essa demanda conforme as necessidades do Hospital, das crianças e suas famílias, com o intuito de diminuir essas e outras barreiras, de modo que os alunos sejam sempre o centro das nossas práticas e menos prejudicados possível”, afirmou Marcelo.


Catia lembrou que a Seduct e a Secretaria Municipal de Saúde estão ofertando vacinação itinerante nas unidades escolares, orientação, educação em saúde e dezenas de projetos sobre bullying, saúde auditiva, saúde mental, obesidade infantil, abuso e exploração sexual, entre outros. “Esse é um trabalho diário desenvolvido por meio do Programa Saúde na Escola (PSE) e que está sendo cada vez mais ampliado. Temos certeza de que o fruto disso será a diminuição no número de internações, além de outros benefícios”, acrescentou.


OUTRAS PARCERIAS


Os representantes do HFM também apresentaram proposta de parceria com a Seduct para desenvolver eventos esportivos, como corridas e provas ciclísticas, visando o incentivo à captação de doadores de sangue. “Para isso, precisamos do apoio da Educação no sentido de fornecer profissionais de Educação Física com experiência nessa área. A ideia é que um primeiro evento já aconteça em dois meses, para celebrarmos o Dia Nacional do Doador de Sangue, celebrado em 24 de novembro”, adiantou Gilberto.


“Essa reunião trouxe uma grande sinergia entre as duas áreas tão estratégicas para o nosso município, que são a educação e a saúde. As duas parcerias vão garantir benefícios tanto de forma coletiva quanto individual. Uma vai ajudar a ampliar a captação de doadores de sangue por meio de eventos esportivos; a outra vai contribuir com intervenção pedagógica em momentos em que as crianças precisam paralisar o processo de ensino-aprendizagem, em razão do período de internação. A Educação vai, junto ao HFM, ajudar a fechar essa lacuna. Queremos, com isso, cada vez mais melhorar a nossa assistência em saúde e nossa educação, e vimos essa obstinação do secretário Marcelo em contribuir com ações concretas para o sucesso dessas parcerias”, concluiu Filipe.

212 visualizações