Inscrições abertas para assistente de alfabetização do Programa Tempo de Aprender

O edital com as instruções foi publicado nesta terça-feira (21) no diário oficial do município e as inscrições prosseguem até o próximo dia 26

Foto: César Ferreira


A Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) está com inscrições abertas até o dia 26, para o processo seletivo para assistente de alfabetização voluntário do Programa Tempo de Aprender, do Ministério da Educação (MEC). O edital com as instruções foi publicado nesta terça-feira (21) no diário oficial do município. As inscrições devem ser realizadas (AQUI). Os assistentes de alfabetização receberão ajuda de custo mensal cujo valor estará de acordo com a quantidade de turmas em que atuarão. Os valores também seguirão os critérios técnicos estabelecidos pelo MEC para a classificação das unidades escolares em vulneráveis ou não vulneráveis, com os seguintes valores atribuídos: R$ 150 por mês, por turma, para as unidades escolares consideradas não vulneráveis; R$ 300 por mês, por turma, para as unidades escolares consideradas vulneráveis.

O secretário, Marcelo Feres, acrescentou que aos assistentes de alfabetização devem ser atribuídas no máximo quatro turmas em escolas consideradas vulneráveis, oito turmas em escolas não vulneráveis ou outra combinação equivalente, em termos de quantidades de horas semanais. “É facultado ao assistente de alfabetização a atuação em, no mínimo, 2 turmas; até o máximo de 8 turmas de alfabetização, de acordo com critérios de disponibilidade do candidato e de necessidade da Seduct e suas respectivas unidades escolares”, explicou.

“As vagas serão apresentadas oportunamente de acordo com a quantidade de turmas ofertadas no 1º e no 2º ano do ensino fundamental de cada unidade de ensino, inserida e confirmada no programa Tempo de Aprender”, informa a coordenadora local do programa Tempo de Aprender, Neidimar Abreu.


O município aderiu ao Programa, que visa melhorar a qualidade da alfabetização das escolas públicas do Brasil. O preenchimento do plano, com dados do gestor, dos professores e das turmas, torna a escola apta a receber recursos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) Alfabetização. O programa realiza ações que atuam no sentido de aprimorar a formação pedagógica e gerencial de docentes e gestores; disponibilizar materiais e recursos baseados em evidências científicas para alunos, professores e gestores educacionais; aprimorar o acompanhamento da aprendizagem dos alunos, por meio de atenção individualizada; e valorizar os professores e gestores da alfabetização.

De acordo com Neidimar, as unidades escolares aptas com o PDDE, que tenham turmas de 1º e 2º ano do ensino fundamental, com o quantitativo de matriculados acima de dez alunos em cada turma - no censo de 2020 - e que preencheram o plano de atendimento, poderão receber os recursos financeiros.


Reportagem: Wesley Machado

281 visualizações