Laboratórios desenvolvem autonomia, criticidade e criatividade dos alunos


“O trabalho nos laboratórios proporciona aos nossos alunos um novo olhar para os conteúdos dados. Essa ferramenta promove a aprendizagem, a autonomia, a criticidade e a criatividade do aluno, além de incentivar a troca de experiências, fazendo com que o aluno veja a escola como um ambiente lúdico e prazeroso”. Essa é a opinião da professora Marta Magalhães, do 3° ano de escolaridade da Escola Municipal Professora Eunícia Ferreira da Silva, localizada no Parque Santa Rosa, a respeito do o Projeto LABMAIS, implantado pela Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) na rede municipal de ensino este ano. De acordo com o secretário de Educação, Marcelo Feres, por meio do Labmais, foram adquiridos 166 Kits de robótica destinados a 46 unidades escolares que ofertam educação infantil; 84 unidades que ofertam ensino fundamental anos iniciais e a 36 unidades que ofertam ensino fundamental anos finais. Além disso, a Seduct adquiriu 120 kits de laboratórios de Matemática e Ciências que estão sendo destinados a 84 unidades que ofertam ensino fundamental anos iniciais, e a 36 unidades que ofertam ensino fundamental anos finais. Outros 211 conjuntos de Laboratórios Brincar e Aprender estão sendo distribuídos para as unidades, contendo recursos educacionais lúdicos. A professora de suporte pedagógico da mesma unidade no Parque Santa Rosa, Thereza Cristina Carvalho, também falou sobre a novidade. “O laboratório tem sido excelente apoio para nossas aulas práticas possibilitando que os alunos vivenciem o que aprenderam em sala de aula. Está transformando a aprendizagem e melhorando a qualidade de ensino da escola”, disse. Segundo Marcelo, implantar a ciência e a tecnologia nas escolas da rede municipal de ensino é parte das metas previstas no Programa de Aprendizagem Eficiente (PAE), implantado pela Secretaria no ano passado. O PAE tem metas estabelecidas para serem executadas até o final de 2024. Muitas delas já estão sendo cumpridas e visam ao letramento digital dos estudantes até o 5º ano de escolaridade e à inovação tecnológica na rede. “Já podemos ter mais esperança. Com essas ferramentas será possível eliminar as barreiras de aprendizagem dos nossos estudantes. Estamos em uma construção paulatina para avançar nesse processo. Isso representa o início da materialização da ciência e tecnologia na educação do município”, completou. A coordenadora de Tecnologias e Mídias Digitais da Secretaria, Anna Karina Vieira, falou sobre os benefícios e vantagens dos laboratórios. “As tecnologias quando usadas na aprendizagem oportunizam novas formas de assimilação dos conteúdos, proporcionando aos educandos serem protagonistas do próprio aprendizado, conduzindo o conhecimento de maneira a se adaptar melhor às próprias necessidades. Além disso, estimulam a inclusão através do trabalho colaborativo, do compartilhamento de ideias e atitudes”, concluiu.

12 visualizações