Mês de conscientização do autismo na rede municipal de ensino


Abril é o mês da conscientização mundial sobre o autismo. O mês foi escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2007, para lembrar a data e chamar a atenção da sociedade para o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Pensando nisso, diversas unidades da rede municipal de ensino estão desenvolvendo projetos a fim de orientar não apenas os alunos, mas toda a comunidade escolar a respeito desta condição. É o caso, por exemplo, da Creche Escola Professora Olga Linhares Corrêa, no bairro Jardim Carioca que, durante todo o mês, vai desenvolver ações de conscientização, segundo a diretora Neusa Guedes. “Estamos distribuindo panfletos, pirulitos e adesivos com esse tema. Nesta semana, vamos receber a nutricionista Letícia Ferreira. E, nos próximos dias, receberemos equipes do Programa Saúde na Escola (PSE) e do Departamento de Educação Inclusiva da Equipe Multiprofissional da Seduct, trazendo importantes contribuições”, adiantou Neusa. A ideia da conscientização foi abraçada tanto por funcionários quanto pelos responsáveis dos alunos. “É importante pra mim como funcionária da unidade e mãe de uma criança com TEA informar a todos sobre os primeiros sinais, assim como os direitos das crianças dentro do espectro. Agradeço imensamente à direção por me permitir compartilhar atividades direcionadas e pela ajuda para organizar e dedicar o mês de abril, em especial, à essa causa, sempre buscando o melhor para nossas crianças”, afirmou Giovanna Maciel, auxiliar de turma e mãe do Miguel Maciel, aluno do Pré-1. Ações como essa estão fazendo a diferença na vida de outros pais, como Kissila Tinoco, mãe do Ethan Fonseca Tinoco, do maternal 1. Ela explicou que a unidade garante atenção aos estudantes e seus responsáveis durante todo o ano, não apenas neste período. “Tenho um filho autista e outro em investigação, mas já com quadro de atraso global de desenvolvimento. Ano passado estava muito preocupada em saber como seria o próximo ano letivo, até que, em um grupo de apoio aos pais de crianças autistas, vi um depoimento de uma funcionária de uma creche, que por sinal era próximo da minha casa, falando sobre o cuidado e amor que aquela creche tinha com os alunos. A mesma me deu toda atenção e me orientou como fazer a pré-matrícula. Logo na semana que começaram as aulas, teve uma reunião com os pais, onde me senti muito acolhida e segura. Com pouco tempo, já vejo o resultado na vida dele”, comentou Kissila.

Ela acrescentou que os gestores da creche buscam aproximar os pais do ambiente escolar. “Esse acolhimento tem sido fundamental para que as coisas funcionem de forma assertiva. Tem sido muito bom pra ele e pra mim. Vi a funcionária Giovana usando um brinquedo de estímulo com ele e senti um grande alívio ao ver aquela cena. Vi o quanto ela está fazendo a diferença no desenvolvimento dele e das outras crianças que ali estão. Agradeço a toda creche por abraçar essa causa da inclusão”, assegurou a mãe.

8 visualizações