Pela primeira vez, professores da Educação Infantil escolherão livros didáticos




Pela primeira vez, os professores da Educação Infantil terão a oportunidade de escolher, democraticamente, os livros didáticos a serem usados na rede municipal de ensino. A medida passará a valer para o ano letivo de 2022. O feito é histórico e inédito, como afirmou o secretário municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), professor Marcelo Feres. Ele promoveu duas reuniões técnicas do Programa Nacional do Livro e Material Didático (PNLD/MEC) para discutir a escolha dos livros, nesta quinta-feira (19). Os encontros aconteceram em dois horários, de forma virtual.


“A novidade vai valer para os alunos da pré-escola (Pré 2 e Pré 3). Os gestores e os professores vão fazer essa escolha orientados pela equipe técnica da Seduct. Cerca de 8.500 alunos de mais de 130 escolas serão contemplados. Campos já adere a todo material do MEC para o segmento do ensino fundamental, ou seja, do 1º ao 9º anos de escolaridades. Além disso, os professores também vão receber o material de orientação e instrução para trabalhar com o pré 1 e todo público de creche”, explicou o secretário.


A escolha final está prevista para ser realizada no sistema do PDDE Interativo/Simec nas próximas semanas, conforme orientou o MEC. Aproximadamente 200 profissionais da Educação Infantil, incluindo gestores, pedagogos e professores participaram das reuniões técnicas.


A coordenadora municipal do PNLD, Ana Raquel Pourbaix, afirmou que o programa tem 84 anos de história. Segundo ela, o novo conceito de infância e a preocupação com a preparação para o processo de alfabetização - a partir dos 6 anos de idade - provocaram a chegada dos materiais didáticos para Educação Infantil pela primeira vez na rede pública de todo o país.


“Lançar, na Educação do nosso município, a primeira edição do Programa Nacional do Livro e Material Didático PNLD para Educação Infantil é motivo de muita alegria para todos nós que acreditamos na formação humana. Pensar a infância é projetar uma sociedade melhor - capaz de responder às exigências de cada tempo, com criativa e responsabilidade social", disse a coordenadora.


A diretora pedagógica da Seduct, Tânia Alberto, informou, ainda, que o MEC adotou três projetos de trabalho, dois foram os apresentados nas reuniões técnicas. O terceiro objeto será discutido futuramente, quando o Governo Federal apresentará o acervo de literatura infantil.


“Dessa vez, fizemos um grupo de trabalho com os profissionais da educação para análise de material e pré-escolha dos livros para que eles compartilhem com seus colegas e, juntos, possam definir a obra que vão adotar. Não será nada impositivo, cada escola terá o direito de refletir e tomar a melhor decisão. É do professor para a rede e não da rede para o professor. Estamos criando um espaço democrático, aonde apresentamos as sugestões e orientações. Também realizamos encontros com autores de algumas das obras e já estamos planejando que esses mesmos autores participem da abertura do ano letivo de 2020, ministrando palestras para nossos professores. Isso permite que nossos educadores pensem no que é melhor para suas próprias turmas, porém com espírito de rede”, disse Tânia.


Para a coordenadora da Educação Infantil, Sirlei Artilles, a Educação está vivendo um grande marco. “Acreditamos que nossas crianças terão acesso a descobertas e desenvolverão os aspectos cognitivo, afetivo e social por meio dos novos materiais didáticos, favorecendo a aquisição da aprendizagem de forma significativa e o apoio às práticas de sala de aula do professor”, comentou.

80 visualizações