top of page

Prefeito lança o Programa Neuroação para crianças atípicas



O prefeito Wladimir Garotinho lançou o Programa Neuroação na manhã desta quinta-feira (21), no auditório da Prefeitura de Campos. O programa, voltado para o tratamento de crianças atípicas, tem como objetivos centrais o diagnóstico precoce e monitoramento permanente, tratamento padronizado em toda rede, definição do fluxo de atendimento por nível de complexidade, capacitação continuada (assistência saúde e educação) e o comitê de apoio aos pais e responsáveis. Durante o encontro, o prefeito anunciou também o Centro Especializado de Reabilitação (CER), que vai contar com a reabilitação física, psicológica, intelectual e auditiva. A sede vai ser implantada na antiga Unidade Básica de Saúde (UBS) Alair Ferreira, no Jardim Carioca.


No Dia Mundial de Conscientização do Autismo, 2 de abril, a Prefeitura vai iniciar mutirões de atendimento às crianças e às famílias atípicas. A ação contará com uma equipe multidisciplinar: neurologista, psiquiatra, neuropsicólogo, fonoaudiólogo e fisioterapeuta para atender, emitir laudos e fazer encaminhamentos. O programa Neuroação faz parte de uma ação integrada das secretarias de Educação, Ciência e Tecnologia; Saúde, Transporte Público; Fundação Municipal da Infância e Juventude; Fundação de Esporte; Poder Legislativo; Conselho Tutelar; Ministério Público; e Mães de Crianças Atípicas.




“Há um ano e cinco meses iniciamos a Escola de Aprendizagem Inclusiva, mas detectamos, através da nossa equipe, a necessidade de agregar a Secretaria de Saúde nos atendimentos e laudos das crianças que necessitam de apoio multidisciplinar. A partir de hoje (quinta-feira), para que todas as famílias atípicas possam se colocar, estamos abrindo um grande censo para atender as duas mil crianças que estão em fila. Vamos focar no censo para zerar essa demanda e ter um lugar onde as pessoas possam frequentar, ter referência não apenas de um consultório, mas também de um espaço lúdico, bonito, espaçoso e arejado, para um atendimento adequado”, destacou Wladimir.


Mãe atípica de um menino de dois anos e 10 meses, Cássia Brandão fala que o espaço vai ser essencial para um tratamento completo. “A Escola Inclusiva já tem todo o suporte para a gente e é um ambiente tranquilo e de acolhimento, mas ainda não consegui, para o meu filho, as terapias com fonoaudiólogo e psicólogo, muito necessárias para o tratamento dele. O programa vai ser de extrema importância para esses acompanhamentos e para todas as mães atípicas do município”, avaliou.




A primeira-dama Tassiana Oliveira lembrou que o Estado do Rio possui apenas três residências inclusivas, sendo duas em Campos.


“O programa é um sonho das mães atípicas, mas também de todos envolvidos direta e indiretamente, pessoas que lutam e buscam melhorias para as crianças e adolescentes. Esse é mais um passo que estamos dando, mas vale lembrar que outros passos já foram dados desde o início da administração Wladimir, em todos os setores do governo. As patologias neurológicas estão aumentando consideravelmente e ter um programa que atenda essas necessidades é um grande avanço para o desenvolvimento do município”, enfatizou Tassiana.


Vice-prefeito, Frederico Paes falou da satisfação de ver as crianças sendo acolhidas e cuidadas em uma gestão que valoriza a qualidade de vida dos munícipes.


“Tudo que está acontecendo, esse dia feliz que estamos vivenciando hoje e poder ver essas crianças sorrindo, cantando, alegre, é resultado de um grupo unido e dedicado, que pensa e implanta políticas públicas para ampliar o cuidado com as pessoas, melhorar a qualidade de vida da população. E é muito gratificante estar no governo e poder realizar o sonho de tantas pessoas”, declarou Frederico.



“Os desafios envolvem o aprendizado de todos nós e da sociedade. A educação não vai avançar se não for por meio de uma sociedade inclusiva. O prefeito Wladimir Garotinho, com a sua sensibilidade, determinou, desde 2022, que a gente avançasse na recuperação da Cidade da Criança e nós tivemos a missão de assumir, enquanto Secretaria de Educação, a reconstrução do espaço. Mas não era simplesmente um parque, era preciso que a gente trouxesse para a realidade atual da diversidade e inclusão”, destacou o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres.



Secretário municipal de Saúde, Paulo Hirano falou da importância do programa para crianças que trazem em sua bagagem algum tipo de dificuldade no neurodesenvolvimento.

“Parabenizo o prefeito pela sua determinação e agradeço muito às equipes, especialmente as da Educação e da Saúde, porque esse programa nos permitirá visualizar, perceber a situação, ter o diagnóstico precoce e, assim, programar as intervenções necessárias para o neurodesenvolvimento dessas crianças”, analisou Hirano.




Por: Tatiana Rangel - Fotos: Alício Gomes e César Ferreira

89 visualizações

Comments


bottom of page