Primeira sala-estúdio do Projeto Estação Educação tem previsão para novembro

Cerca de 40 professores foram selecionados para atuarem no PEE, que está em fase de aquisição de equipamentos. Nas duas primeiras semanas do projeto, os educadores irão gravar aulas-testes

Foto: Wellington Rangel


A primeira sala-estúdio do Projeto Estação Educação (PEE) da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia tem previsão para ser implantada em novembro deste ano. O projeto piloto será criado na Escola Municipal Maria Lúcia, no bairro Turfe Clube. Cerca de 40 professores foram selecionados para atuarem no PEE, que está em fase de aquisição de equipamentos. Nas duas primeiras semanas do projeto, os educadores irão gravar aulas-testes para corrigir postura e vícios de linguagens, e também aprenderão a elaborar roteiros, entre outas instruções práticas que serão ministradas pelo gerente de Mídias Digitais da Secretaria, Welliton Rangel.


Segundo o secretário, Marcelo Feres, que promoveu reunião com os profissionais em setembro, os selecionados serão remunerados na condição de Regime Especial de Trabalho (RET), e atuarão em horário diverso de seu exercício da docência. "O Projeto visa promover a equidade entre os alunos, especialmente em tempos de afastamento social, minimizando os impactos da pandemia na rede municipal de educação, e vai contemplar, principalmente, os estudantes excluídos digitalmente", destacou o secretário.


Os educadores participaram de capacitação promovida pelo Departamento de Animação Cultural da Secretaria no final do mês de agosto. A formação aconteceu no Museu Histórico de Campos e contou com oficinas de teatro, jogos de escuta, de corpo, voz e orientações para a dinâmica com câmera de TV.

O PEE envolverá a gravação de videoaulas dos diversos componentes curriculares da Educação Infantil, Ensino Fundamental Anos Iniciais e Finais e EJA. O objetivo é criar um acervo de materiais didático-digitais interativos e dinâmicos, com abordagens metodológicas dialogadas, contextualizadas e problematizadoras, que sirvam como instrumentos potencializadores das aprendizagens sistematizadas e formalizadas nas escolas e para além delas, estando ao alcance de toda comunidade educativa e de todos aqueles que desejarem.


“Serão construídas, inicialmente, salas-estúdio preparadas com 24 câmeras, iluminação, microfone e outros recursos, em 12 unidades escolares, para que os professores apresentem conteúdos previstos para cada semana de aula, por meio de “estações”, separadas por níveis educacionais”, explicou Welliton.

De acordo com a coordenadora pedagógica do projeto, Neidimar Abreu, o professor poderá fazer uso de diferentes materiais para preparar suas aulas e gravações dos diversos componentes curriculares, mas o conteúdo didático-pedagógico que norteará o trabalho será disponibilizado pela Secretaria.

"As aulas preparadas pelos professores selecionados deverão ter caráter inovador, com utilização das tecnologias digitais da informação e comunicação, metodologias ativas, como também, materiais concretos, histórias, entre outros instrumentos didáticos. Os selecionados deverão participar de curso de formação continuada em formato híbrido promovido pela Secretaria", informou Neidimar.


Reportagem: Kamilla Uhl

57 visualizações