top of page

Programa Mais Ciência dá boas-vindas aos novos participantes




Os novos participantes do Programa Mais Ciência, da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, foram recebidos nessa terça-feira (12) em uma cerimônia de boas-vindas no Anfiteatro 1, do Centro de Convenções da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf). Trata-se do Programa Municipal de Bolsas de Iniciação Científica, Iniciação Tecnológica e de Extensão — edição 2024 — que teve início oficialmente reunindo professores, orientadores e alunos bolsistas para uma manhã de apresentações, informações e troca de experiências sobre o Programa.


Os participantes receberam nessa segunda-feira (11) o primeiro pagamento referente às bolsas e a primeira parcela da taxa de bancada. Eles são estudantes do ensino superior, de universidades públicas e privadas de Campos, contemplados com bolsas de R$ 700 mensalmente, além de taxa de bancada para o professor orientador de R$ 1.500. Nesse ciclo, a secretaria aumentou o valor da bolsa, equiparando com a tabela do CNPq e de demais órgãos de fomento estaduais e federais.


O secretário de Educação Ciência e Tecnologia Marcelo Feres deu boas-vindas aos integrantes do projeto e falou sobre a inserção da tecnologia na Educação. "É assim que defendemos política pública no país, unindo governo e universidades, o que é fundamental para o desenvolvimento de todo e qualquer município. O Mais Ciência é uma experiência que deu certo. Campos está ampliando a agenda da Ciência e Tecnologia, destacando sua importância e se unindo à Educação. Nos projetos atuais do programa, cerca de 40% são ligados à Educação, o que me deixa muito feliz”, disse o secretário.


Ele também destacou outro importante programa, o Mais Ciência na Escola, que contempla o Ensino Fundamental. “E, por meio desse programa e com esforço dos nossos alunos, Campos ficou em primeiro lugar nas categorias em que participou em âmbito estadual. Em 2023 tivemos três projetos finalistas, dois premiados e um deles vai representar o município em Pernambuco, no final deste ano. Isso mostra que estamos no caminho certo. Eu tenho muito orgulho de fazer parte desse projeto, que vem crescendo”, afirmou.


Marcelo também lembrou que agora os professores estão recebendo Chromebooks e os alunos estão sendo contemplados com tablets nas salas de aulas. “Também estamos implantando o Sistema Unificado de Administração Pública (SUAP) Modalidade Ensino, onde os professores podem inserir notas e frequências de forma on-line. Tivemos, ainda, mais de 80 alunos aprovados no IFF, o que também é motivo de orgulho. Diante desse cenário, é possível sonhar com uma realidade mais justa, com nossos estudantes envolvidos em projetos importantes; que no futuro possam estar em universidades como a Uenf e que a educação possa mudar suas vidas", disse o secretário.


A subsecretária de Ciência e Tecnologia, Suzana da Hora, falou dos avanços da pasta. “Primeiro, quero dar os parabéns a todos pela persistência em estarem aqui. Sejam muito bem-vindos. Essa chegada da ciência e tecnologia foi muito importante para mudar a educação do nosso município. A Subsecretaria de Ciência e Tecnologia trabalha hoje com os editais de Economia Criativa, Startup Campos, Mais Ciência e Mais Ciência na Escola, montamos os laboratórios digitais, realizamos oficinas, etc. Vale ressaltar, ainda, a formação continuada em Tecnologias e Mídias Digitais, Fundamentos do Google para Educação; Fórum de Educação, Ciência e Tecnologia; Laboratório Móvel Viajando na Ciência; projeto Estação Educação, com aulas disponíveis a todos; criação da Escola de Formação de Educadores (Efem), entre outros. Tudo isso é importante para o crescimento de nosso ensino-aprendizagem", pontuou Suzana.


A gerente de Programas e Parcerias da Seduct e coordenadora do Mais Ciência, Leonora Tinoco, explicou que diferentemente dos anos anteriores, quando o Termo de Outorga era entregue pessoalmente, desta vez, a assinatura foi realizada de forma on-line, o que torna o processo mais dinâmico.




“Essa é a 4ª edição do Mais Ciência, tivemos recorde de inscrição e 54 projetos aprovados. A cada ano, o programa apresenta resultados melhores, e nossa ideia é que este dia seja uma troca e uma oportunidade de conversarmos. E fiquem atentos às datas importantes. Em junho, temos o Congresso Fluminense de Iniciação Científica e Tecnológica (CONFICT); em julho, entrega do relatório parcial, e no final do ano, um evento que ainda estamos idealizando com a apresentação dos projetos”, disse Leonora.


Professor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Eduardo Bulhões contribuiu com a ideia de publicar um livro sobre os resultados do Mais Ciência. “Fica a sugestão para que o município possa contar com uma obra com os trabalhos desenvolvidos", sugeriu Eduardo.

O objetivo do programa é apoiar por meio da concessão de bolsas e de taxas de bancada o desenvolvimento de projetos acadêmicos de interesse das secretarias, subsecretarias e demais órgãos da Prefeitura, contribuindo para a formação dos estudantes universitários e articulando as pesquisas científicas com o processo de desenvolvimento socioeconômico do município.


Projeto


O professor universitário Leandro Bruno Santos participou de todas as edições do Mais Ciência. O projeto dele, este ano, é “Transporte público e acesso à cidade de pessoas portadoras de deficiência assistidas pelas instituições de apoio em Campos dos Goytacazes-RJ”.




Ele conta que a decisão de submeter propostas ao programa tem a ver com as particularidades do núcleo de pesquisa do qual faz parte com outros colegas. Desta vez, o projeto submetido tem o objetivo de analisar a mobilidade e acessibilidade urbanas dos portadores de deficiência assistidos por instituições de apoio nas suas práticas espaciais de consumo, trabalho e acesso a serviços públicos, saúde e educação.


“A nosso ver, a identificação dos fluxos origem-destino, a compreensão das especificidades de cada deficiência e sua relação com os transportes, a localização das instituições de apoio e demais equipamentos, entre outros, são de fundamental importância para se pensar políticas efetivas visando à acessibilidade e à mobilidade de pessoas portadoras de deficiência. O programa Mais Ciência é, sem sombra de dúvida, uma iniciativa pioneira no país e com poucos congêneres desde sua criação”, pontuou.


Fotos: Alício Gomes

52 visualizações

Kommentare


bottom of page