top of page

Programa Mais Ciência lançará novo edital em fevereiro




O programa Mais Ciência na Escola vai divulgar, até o final do mês que vem, um novo edital para selecionar projetos que serão desenvolvidos pelas unidades escolares da rede municipal de ensino, por meio de bolsas de estudo. O objetivo é incentivar o desenvolvimento da ciência e tecnologia em sala de aula. Ao todo, serão contemplados 40 trabalhos. Nesta quarta-feira (18), a Coordenadora do programa, Carla Salles; a coordenadora do Programa Mais Ciência (ensino superior), Leonora Tinoco; e a gerente de articulação de projetos da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct), Adriana Crespo, participaram de uma reunião para finalizar o edital.


“Lançaremos novamente mais uma edição do Programa Mais Ciência na Escola, provando que é possível fazer política pública com seriedade, valorizando, incentivando e oportunizando os estudantes da nossa rede municipal de ensino. Sem dúvida, um programa inovador para o nosso município, tendo como elemento central, o protagonismo dos nossos alunos”, ressaltou Carla.


Ano passado o Mais Ciência contemplou 34 projetos, 14 escolas, 18 professores e 102 alunos bolsistas. Entre os projetos, está o de Plantas medicinais - A inserção da horta medicinal como elo do saber acadêmico e do saber popular, como instrumento de aprendizado, realizado na Escola Municipal Frederico Paes Barbosa. A proposta foi da professora Walquíria Rangel da Silva Petrucci.





"O Mais Ciência na Escola é incrível, pois, permite ao aluno essa vivência com projetos, encontros e feiras. Conseguimos através do programa promover um trabalho na escola que valorizasse o social e o conhecimento de mundo dos alunos. Estabeleci uma relação de afetividade com os alunos, à medida que nos permitimos enxergar uns aos outros sem a pressão de avaliação e pontuação. Assim puderam falar aos outros alunos que estudar, participar e contribuir não é tão ruim e tão difícil quanto pensavam. Espero ter a oportunidade de participar mais uma vez, pois, acho que não sei mais ser professora sem ter meus bolsistas fazendo e divulgando ciência fora da sala de aula", disse Walquíria.


O objetivo do programa é apoiar, por meio de concessão de bolsas e de taxas de bancada, o desenvolvimento de projetos de Iniciação Científica Júnior (ICJr), a fim de estimular a vocação científica e a formação de novos pesquisadores nas Escolas Municipais do Ensino Fundamental anos finais – nas modalidades regular (de 6º ao 9º ano) e EJA (de VI a IX fase) – articulando as pesquisas e atividades com as demandas necessárias ao processo de melhoria da qualidade do ensino no município.


VALORES


Ano passado, o valor da bolsa de ICJr pago ao estudante foi de R$ 160,00 mensais e da bolsa de apoio científico e tecnológico paga ao professor orientador de R$ 300,00 mensais, enquanto a taxa de bancada ao professor orientador teve o valor de R$ 1.000,00 pagos em duas parcelas de R$ 500,00, sendo a primeira na aprovação do projeto e a segunda na aprovação do relatório parcial, ao final do 4º mês de seu desenvolvimento.




91 visualizações
bottom of page