PSE ministra tutoria sobre autismo em curso da Secretaria Estadual de Saúde

O curso tem a intenção de ser o disparador de atividade de qualificação e de educação permanente entre pares e não pares envolvidos no tema da saúde

Imagem Ilustrativa: Divulgação PSE Campos


O Programa Saúde na Escola (PSE) é referência para todo o país, conforme tem divulgado o governo federal. Por isso, vem recebendo dezenas de convites para ministrar palestras em diversas cidades e para apresentar as experiências exitosas desenvolvidas em Campos. O Programa é uma ação conjunta entre a Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia e a Secretaria Municipal de Saúde.

Um dos convites partiu da Superintendência de Atenção Psicossocial e Populações em Situação de Vulnerabilidade da Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro, para participar do Curso de Fortalecimento do Atendimento Integral em Saúde para Crianças e Adolescentes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Estado (Faisca), que teve início em julho deste ano.

O curso tem a intenção de ser o disparador de atividade de qualificação e de educação permanente entre pares e não pares envolvidos no tema da saúde dessa população e da oferta de cuidado no campo das políticas públicas de saúde para a promoção de saúde, a identificação e prevenção de situações de gravidade do cuidado à pessoa autista e a inclusão e redução de barreiras considerando aspectos relacionados aos determinantes sociais da saúde.

A coordenadora do PSE Campos, a nutricionista Catia Mello, representou a cidade no evento. “O objetivo do curso é promover a qualificação inclusiva e sustentável dos atores (profissionais e gestores) das Redes de Atenção à Saúde, dos Centros de Atenção Psicossocial, das Redes Intersetoriais e Atores Sociais que atuam no cuidado a pessoas com TEA na infância e adolescência. Pessoalmente, uma honra receber este convite, principalmente porque o TEA é uma realidade presente na minha vida por conta dos meus filhos”, disse.

A apoiadora institucional ligada ao Eixo da Infância e Adolescência da Coordenação de Atenção Psicossocial da Superintendência de Atenção Psicossocial e Populações em Situação de Vulnerabilidade da SES-RJ, Katia Santos, falou sobre a importância do curso.

“São várias questões importantes a serem consideradas. A primeira é que esse curso é fruto de um diálogo, de fato, entre uma ONG de pais de autistas e a gestão estadual. A gente conseguiu escutar, conversar e pensar juntos numa ação de qualificação para rede de atenção psicossocial e também para a rede intersetoriasl, composta pelas escolas, assistência social, esporte e lazer, atenção primária, profissionais que trabalham direto com crianças autistas, etc. Queremos dar visibilidade para essas crianças e adolescentes autistas. Outra peculiaridade é que a formação traz autistas e familiares de autistas para dar aulas, além de profissionais gabaritados, com muito tempo de percurso para lecionar. Se dirige ainda aos usuários e familiares. Estamos debatendo questões que têm a ver com os desafios mais recentes que o autismo tem trazido para a política pública. E a contribuição da Cátia Mello, do PSE Campos está sendo muito preciosa e valiosa”, completou Katia.


Reportagem: Kamilla Uhl

8 visualizações