top of page

Quinze escolas municipais receberam o “Maria da Penha Vai à Escola” este ano



Quinze escolas da Rede Municipal receberam o projeto “Maria da Penha Vai à Escola” este ano. Até o final de 2023, o objetivo é que 23 unidades escolares sejam beneficiadas. Na noite dessa quarta-feira (8), foi a vez da Escola Municipal Francisco de Assis. A ação acontece através do Centro Especializado de Atendimento à Mulher Mercedes Baptista (Ceam), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) e Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, envolvendo palestras sobre violência contra mulher para alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA).


A coordenadora da EJA, Greice Souza, disse que o objetivo é atender todas as unidades com palestras esclarecedoras e de acolhimento. “Buscamos formar e informar nosso aluno tanto para o mercado de trabalho quanto para a sociedade. Essa é a função da EJA, dar o acesso e permanência àquele aluno que não pôde estudar no tempo apropriado, ser inserido também na sua vida social”, disse a coordenadora.


Durante as palestras são abordados assuntos considerados relevantes como foco, resiliência, autoestima, autocuidado, empatia e outros dependendo do público que estiver presente, de acordo com a faixa etária e demandas específicas, como por exemplo, os múltiplos papéis da mulher. São apresentados os serviços oferecidos pelo Ceam na acolhida, fortalecimento e acompanhamento da mulher vítima de violência doméstica pelos profissionais e toda equipe técnica.



A coordenadora do Ceam, Erika Nogueira, falou sobre a importância do projeto.


“Cada encontro é uma entrega e um retorno diferente deles. Na verdade, os encontros que a gente tem feito sobre violência doméstica e relacionamento abusivo na EJA tem sido grandes trocas de experiências. Levamos não só a informação e o conhecimento mas também os meios os quais essas mulheres podem buscar ajuda. A gente apresenta o Ceam, fala da Delegacia de Atendimento À Mulher (Deam) e da subsecretaria, explica ainda todos os canais e vai muito mais além. Falamos sobre prevenção, respeito e da a política da mulher não ser uma política de homens contra mulheres e sim de respeito entre os dois. Cada encontro é gratificante".


De acordo com a gestora da E.M Francisco de Assis, Nadia Regina Pacheco Ferreira, a palestra discorreu sobre a culpa cultural atribuída às vítimas, deixando claro que nenhuma mulher merece ou provoca violência, enfatizando a necessidade de desconstruir essa mentalidade. Além disso, apresentou aos alunos os diversos tipos de violência, como a física, psicológica, sexual, moral e patrimonial, ilustrando cada um com exemplos reais.


"Os alunos contaram histórias reais de suas vivências e aprenderam onde encontrar apoio, através da Lei Maria da Penha, foram compartilhadas informações sobre os canais de denúncia, como a Central de Atendimento à Mulher (Disque 180). As funcionárias do CEAM encorajaram os estudantes a denunciarem qualquer forma de violência de gênero, mostrando que a sociedade está cada vez mais atenta e engajada no combate a essa questão", explicou.


O evento foi finalizado com um momento aberto para perguntas e reflexões dos alunos. Eles puderam compartilhar suas opiniões, tirar dúvidas e expressar suas preocupações sobre a temática. A participação ativa dos estudantes demonstrou a relevância do debate e a necessidade de continuidade dessas discussões nas salas de aula.



97 visualizações

Comments


bottom of page