Receita Federal doa livros para Seminário de Educação Fiscal e Financeira




Em parceria com a Receita Federal do Brasil (RFB), a Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) vai promover o primeiro Seminário Municipal de Educação Fiscal e Financeira da história da cidade. O evento acontecerá na próxima quarta-feira (8), das 15h às 20h, no auditório da sede da Prefeitura de Campos. Para isso, nesta sexta-feira (3), a assessora técnica da Seduct, Catia Mello, participou de reunião na sede da Superintendência da Receita Federal da 7a Região Fiscal, no Rio de Janeiro, onde fez a retirada de centenas de livros doados pelo órgão.


Os livros foram entregues pelo representante Regional de Cidadania Fiscal da Receita Federal na 7ª Região Fiscal (Rio de Janeiro e Espírito Santo), Vicente Bruno Cavalcanti de Oliveira, e o superintendente da Receita Federal do Brasil na 7ª Região Fiscal, Flávio José Passos Coelho. O material será utilizado durante o seminário e durante as aulas de rotina nas escolas.


“Graças à parceria com a Receita Federal do Brasil, por meio da Superintendência Regional da 7ª Região Fiscal, estamos recebendo diversos materiais que serão distribuídos no dia do Seminário Educação Fiscal e Financeira na Escola. A importância deste seminário é capacitar professores para que sejam multiplicadores deste projeto em nossa rede de ensino municipal”, explicou Catia, que representou o secretário de Educação de Campos, Marcelo Feres.


Voltado para os profissionais da rede municipal de ensino, o seminário marcará o lançamento do Projeto de Educação Fiscal e Financeira na rede. As inscrições podem ser feitas no Portal do programa de Aprendizagem Eficiente (PAE).






Segundo Vicente, as obras doadas poderão ser usadas diretamente para distribuição aos alunos em sala de aula e, ainda, como suporte pedagógico para os professores. “Um dos livros se chama Alfândega do RJ: administração, comércio e cidade. Traz várias fotos e registros de momentos históricos vividos na cidade do Rio de Janeiro. Queremos mostrar, com isso, que o estado e a sociedade não são entes distintos, os órgãos estatais vão se desenvolvendo no desenlace da própria história das cidades, do estado, do país. Par e passo, os organismos estatais também vão se aperfeiçoando com o passar do tempo. Tributação e nossa vida estão intimamente conectados”, afirmou.


Outras temáticas serão trabalhadas, de acordo com Vicente. “Também ofertamos fôlderes intitulados: Cupom fiscal - devo pedir, no qual se elencam dez razões para ajudar a pessoa a se decidir por pedir o cupom fiscal, mostrando que aquele documento é importante em casos de defeitos, por exemplo. Trata-se do único comprovante que temos do que compramos, quem vendeu e quanto custou. Combatemos, com isso, a sonegação de impostos”, justificou.

A obra Olho vivo no dinheiro público, elaborada pela Controladoria Geral da União, é outro presente para os profissionais da educação de Campos. “É um guia para os cidadãos garantirem seus direitos. O gasto público é algo do nosso interesse, pois a sociedade é a mantenedora das ações do estado e das políticas públicas. Por isso, estar de olho no dinheiro público é nosso dever para que ele seja bem aplicado”, comentou.


Revistas em quadrinhos, livros sobre corrupção e sobre combate à pirataria também foram doados. “Enfim, o material vai ajudar nesse projeto de educação fiscal nas escolas. Além de aprendermos conteúdos tradicionais das diversas áreas, a gente também vai falar dos acontecimentos da vida, como tornar um cidadão apto a se integrar na sociedade, a reconhecer os valores sociais, a importância da participação, de ter sua voz ouvida, todo um processo de conscientização. É dar ao cidadão um pensamento crítico e olhar criterioso sobre a coisa pública, que é mantida e usufruída por todos, portanto, deve ser também cuidada por todos”, finalizou.






19 visualizações