top of page

Seduct realiza capacitação para assistentes sociais na UFF



"Ética e cotidiano do trabalho profissional". Esse foi o tema da capacitação para assistentes sociais realizada na manhã desta terça-feira (7), no auditório da Universidade Federal Fluminense (UFF). Ministrado pela professora Amanda Guazzelli, o curso visa atualizar os profissionais e estreitar os laços entre a academia e o trabalho. A coordenadora Multiprofissional da Secretaria de Educação Ciência e Tecnologia (Seduct), Adriana de Lima Gonçalves, explica que o curso é realizado pela secretaria, através da Coordenação de Serviço Social. Ela ressaltou a importância da capacitação e da atualização da profissão.


"Na correria do dia-a-dia muitas vezes os profissionais acabam não tendo tempo para se capacitar e buscar novos conhecimentos. Então, esse é o momento para que todos possam se aprimorar e conhecer um pouco mais do nosso Código de Ética que, entre as exigências, determina um local reservado para o atendimento, pois algumas situações envolvem problemas pessoais e deve ser feito com cuidado e sigilo ", disse Adriana.


Paulista e professora da UFF há três anos, Amanda Guazzelli disse que o encontro é uma oportunidade de transformar a realidade em estudo e reflexão. Ela pontuou ainda que esse espaço de aprendizagem é sempre instigante para se rever profissionalmente.


“É impossível falar de ética profissional sem transitar pela vida cotidiana. Vamos centrar nossa conversa e contextualizar esse cotidiano. Por que, na maioria das vezes, ele é tão pesado e maçante? O serviço social é um exercício muito exigente porque compreende ouvir música, assistir a filmes e sair do empirismo. Estou muito feliz em estar aqui porque a Educação tem uma particularidade muito importante pois envolve a formação do sujeito. Esse espaço é muito caro e o cotidiano é essencial para que possamos fazer desse espaço um local sem preconceitos e com o cotidiano pautado na Érica”, afirmou Amanda.


Assistente Social há 20 anos, Paula Verônica Paradivino afirmou que as atualizações são necessárias para repensar o fazer profissional. "É um momento de reflexão, troca e socialização. O Serviço Social é um campo de trabalho muito vasto e, por isso, é necessário estarmos sempre nos atualizando", ressaltou Paula.



Já Paulo Santos Freitas atua na profissão há 16 anos e também defende a capacitação continuada. "Defendo muito esses momentos de troca e interação. É a chance de estarmos juntos, falando de nossas experiências, tirando dúvidas e fortalecendo a profissão. É um momento muito rico onde aprendo muito com meus colegas”, finalizou.



18 visualizações
bottom of page