top of page

Serviços e ações da Secretaria de Educação beneficiam mães de alunos





Muitas homenagens e comemorações foram realizadas nas escolas e creches municipais ao longo desta semana. De cartinhas a apresentações e festas, tudo foi feito com muito amor pelos profissionais das unidades que ajudaram os alunos a compreenderem e a reconhecerem o valor de uma mãe, demonstrando seu amor por essas que dão a vida pelos seus filhos. Mas o que muita gente não sabe é que diversas ações e serviços ofertados pela Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) beneficiam direta ou indiretamente as mães dos cerca de 55 mil estudantes da rede municipal de ensino.





“Na Cidade da Criança Zilda Arns, por exemplo, foi implantada no ano passado a Escola de Aprendizagem Inclusiva que oferece atividades para as famílias, como palestras, oficinas, capacitações, aulas de meditação e cursos de libras e braile para aprenderem a dialogar melhor com as crianças típicas e atípicas”, destacou o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres.






O Projeto Biblioteca em Casa também beneficia as mamães de forma direta e já entregou mais de 25 mil maletas com diversas obras literárias aos alunos e, aproximadamente 140 unidades escolares, foram contempladas. Cada maleta contém, aproximadamente, 20 livros da Literatura Brasileira para que as crianças e adolescentes possam ler em casa com toda a família. Mães, pais e filhos podem revezar o material e conversar sobre os ensinamentos adquiridos ao longo da semana, a partir de cada obra "degustada" no conforto do lar.





Em parceria com a Faculdade de Medicina de Campos, as mães atendidas nas creches espalhadas pelas diversas regiões educacionais participam de palestras de educação em saúde que visam prevenir doenças e tratam de assuntos como higiene das crianças, sistema reprodutivo das mulheres, cuidados com as verminoses, importância do uso corretos dos medicamentos, prevenção à leptospirose, doenças respiratórias, vacinação infantil e calendário vacinal, combate ao aedes aegypti e cuidados com a dengue, zika e chikungunya.


De forma independente, as creches e escolas também promovem ações de educação em saúde visando garantir orientação aos responsáveis pelos estudantes em diferentes áreas. Além disso, somente este ano, mais de 5 mil matrículas novas foram realizadas nas unidades escolares, contemplando as mães que precisam deixar seus filhos em um local seguro para irem trabalhar.





Outro serviço importante diz respeito ao trabalho da Coordenação do Programa Bolsa Família/FICAI da seduct, que auxilia as unidades no combate à infrequência e invasão escolar, com apoio de assistentes sociais. A equipe contribui para ajudar a entender demandas que surgem no âmbito familiar e que acabam, muitas vezes, implicando em abandono da escola, como doenças, violência doméstica, desemprego, entre outras.


O Programa Saúde na Escola (PSE) desenvolve vários serviços que também contemplam as mães, com destaque para o Programa Família na Escola, que visa promover a parceria entre a família e a escola, por meio de ações conjuntas de formação das habilidades parentais, de incentivo ao acompanhamento das atividades escolares dos filhos e de garantia dos direitos da criança, com foco no fortalecimento dos vínculos familiares e no desenvolvimento integral da criança.





Outra ação do PSE é o Projeto Educar Para Transformar: Ensinando Meus Filhos a Sorrir e o Projeto Escola Protetora da Mulher, informou o secretário de Educação, Marcelo Feres. “Sem contar os diversos projetos do PSE que ajudam indiretamente as mães, pois ajudam a garantir saúde emocional e física dos pequenos, como os Projetos Valorização do Vida, Vacinação Itinerante nas Escolas e Creches, Bullying Não é Legal, Crescer Saudável: Enfrentamento à Obesidade Infantil, Saúde do Adolescente: Direito Sexual e Reprodutivo - O Tempo Desejável Para Engravidar, Audiometria, entre outros”, lembrou Marcelo.





Ele falou ainda sobre o projeto de acompanhamento pedagógico familiar, que será implantado nas próximas semanas, com visitas domiciliares aos alunos com maior dificuldade de aprendizagem, e apoio de equipe multidisciplinar.


"Vamos garantir não apenas o acompanhamento pedagógico mas também apoio socioemocional para avaliar e identificar quais outros problemas o aluno apresenta que estão comprometendo a frequência e aprendizagem. Isso é prioridade e vamos promover uma ação mais pró-ativa, ou seja, escola e família juntas por uma cultura de paz. É um atendimento mais humanizado com escuta especializada e, quando necessário, faremos o encaminhamento para a rede de saúde, com quem temos uma excelente parceria", explicou o secretário.



57 visualizações

Komentarze


bottom of page