Uso de máscara é fortemente recomendado para reduzir a circulação viral


Por meio do decreto 307/2022, publicado na segunda-feira (13), a Prefeitura está recomendando fortemente o uso de máscara facial, como forma de proteção individual não só contra a Covid-19, mas outras infecções respiratórias. A sua utilização, no entanto, depende da conscientização da população quanto a importância desse equipamento, assim como lavar as mãos e praticar o distanciamento social. “Só vamos conseguir reduzir a circulação dos vírus causadores de doenças respiratórias se a população aderir a essas medidas de prevenção. Do contrário, levaremos mais tempo para conseguir voltar à normalidade”, disse o médico infectologista Rodrigo Carneiro, subsecretário de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav), da Secretaria Municipal de Saúde. Conforme o decreto, em seu artigo 14, o uso da máscara é fortemente recomendado em ambientes fechados públicos e privados, como escolas, universidades, transporte público, seja escolar, por aplicativo, táxis e similares, nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), Comunidades Terapêuticas e Serviços Residenciais Terapêuticos, além de teatros, cinemas e academias. Rodrigo Carneiro disse que a recomendação pelo uso da máscara se tornou necessária devido ao aumento nos casos confirmados de infecção pelo coronavírus, principalmente em adultos. “O município vem registrando também um aumento significativo no número de crianças e adolescentes com sintomas respiratórios causados por vírus respiratórios, entre eles, o coronavírus”, afirmou o médico, ressaltando que a circulação dos vírus respiratórios, principalmente entre as crianças, se deve ao longo período em que elas ficaram confinadas. Ele explicou ainda que a pessoa pode optar pela máscara de tecido ou a máscara cirúrgica descartável, devendo trocá-la em um intervalo não superior a seis horas. “Os profissionais de saúde que utilizam a Pff2, também chamada de bico de pato, podem efetuar a troca de acordo com a recomendação do fabricante, que varia de 15 a 30 dias”.

6 visualizações