Projeto Biblioteca em Casa
(Re)construindo Saberes

Introdução

É inegável a importância da leitura para a formação de pessoas e para a educação seja ela formal ou informal. Além de contribuir para a ampliação do conhecimento de mundo, formar conceitos, elaborar e reelaborar opiniões sobre fatos, situações e contextos, a leitura enriquece o vocabulário de quem lê, constrói pontes entre conhecimentos obtidos em diferentes fontes, amplia a capacidade de argumentação, rompe com o ciclo vicioso perverso de rotulação e classificação das pessoas e suas competências técnicas para o trabalho resultantes em boa parte do analfabetismo funcional além de ser fonte de prazer e  um excelente exercício para o cérebro.

 

Justificativa

 

Dada a complexidade da Rede Municipal de Ensino de Campos dos Goytacazes e o compromisso com a melhoria do desempenho educacional, faz-se necessário planejar várias frentes de intervenção com objetivo de subsidiar  docentes, demais profissionais da educação e estudantes a fim de ampliar possibilidades de aprendizagem significativa para todos, investir em projetos de incentivo a leitura é um dos caminhos.
Neste sentido, a perspectiva de intervenções pedagógicas institucionalizadas, direcionadas para despertar as potencialidades dos estudantes e consequentemente traduzir-se em melhor desempenho educacional, é condição para superar as dificuldades que pelo lado do estudante se apresentam como falta de recursos financeiros para acesso a diversidade de materiais pedagógicos e objetos de aprendizagem, falta de interesse, dificuldade de aprendizagem, baixo rendimento cognitivo, raciocínio lógico matemático abaixo da média e fraco desempenho de leitura e escrita. E pelo lado do docente se apresenta como dificuldade em produzir resultados tendo que superar as carências socioeconômicas dos alunos, falta de motivação para o trabalho, dificuldade em auto-organizar-se pedagogicamente e baixo desempenho técnico observado através do  desempenho insatisfatório dos estudantes nas avaliações externas a exemplo do SAEB e ANA.
Tendo em vista  um amplo projeto de incentivo à leitura que envolva alunos, professores, demais membros do corpo técnico das escolas e creches com a perspectiva de melhorar o desempenho dos estudantes da rede municipal de ensino e melhor prepará-los para o futuro, a convivência em sociedade e o mundo do trabalho, a Seduct propõe que o Projeto Biblioteca em Casa; (Re)construindo Saberes que entre outras contribuições busca do cumprimento de várias metas do Plano Nacional de Educação e do Plano Municipal de Educação elencados a seguir, pretende melhorar o desempenho geral da Rede Municipal de Ensino.
Em relação a Meta 2: universalizar o ensino fundamental de 9 (nove) anos para toda a população de 6 (seis) a 14 (quatorze) anos e garantir que pelo menos 80% (oitenta por cento) dos alunos concluam essa etapa na idade recomendada, até o último ano de vigência deste PME.  Investindo em Livros além dos didáticos, que estarão ao alcance dos alunos em suas residências a disposição de toda a família, cria-se a possibilidade de dar equidade ao acesso a leitura diversificada e de boa qualidade para todos os estudantes, bem como trabalhar com essas obras em conteúdos diversos em projetos escolares e rodas de leitura e assim contribui-se para o melhor desempenho escolar previsto nesta meta.
Quanto à Meta 4: universalizar, para a população de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação, o acesso à educação básica e ao atendimento educacional, especializado, preferencialmente na rede regular de ensino, com a garantia de sistema educacional inclusivo, de salas de recursos multifuncionais, classes, escolas ou serviços especializados, públicos ou conveniados.  Ao proporcionar aos professores acesso a leitura especializada em educação e organizar planos de formação continuada criando momentos de leitura e reflexão sobre a própria prática docente, cria-se melhores condições de acolhimento e acompanhamento pedagógico para os alunos nessa condição.
Considerando a Meta 5: alfabetizar todas as crianças, no máximo, até o final do 3º (terceiro) ano do ensino fundamental. É inegável que o acesso e o estímulo à aquisição da prática da leitura com significado e fluência é uma das bases para o sucesso escolar.
No caso da Meta 7: fomentar a qualidade da educação básica em todas as etapas e modalidades, com melhoria do fluxo escolar e da aprendizagem de modo a atingir as médias municipais para o IDEB. Assim como na busca pelo atingimento da Meta 2, investir em oportunidade e condições de leitura dentro e fora da escola, além de todos os aspectos positivos de incentivar a leitura pode-se diretamente melhorar o fluxo escolar reduzindo reprovações e abandonos relacionados ao mau desempenho escolar do estudante.
Refletindo sobre a Meta 9: elevar a taxa de alfabetização da população com 15 (quinze) anos ou mais para 93,5% (noventa e três inteiros e cinco décimos por cento) até 2015 e, até o final da vigência deste PNE, erradicar o analfabetismo absoluto e reduzir em 50% (cinquenta por cento) a taxa de analfabetismo funcional. Especialmente no que diz respeito a reduzir o analfabetismo funcional, entende-se que ao estimular a leitura diversificada, amplia-se a capacidade cognitiva de compreensão do que se lê.
E por fim considerando a Meta 16: Oportunizar que pelo menos 50% (cinquenta por cento) dos professores da educação básica do município, obtenha formação em pós-graduação na sua respectiva área de atuação, até o último ano de vigência deste PME, e garantir a todos (as) os (as) profissionais da educação básica formação continuada em sua área de atuação, considerando as necessidades, demandas e contextualizações dos sistemas de ensino. Ao proporcionar aos professores aprofundamento técnico através de leitura especializada dentro e fora dos roteiros de formação continuada e momentos de estudo, análise e reflexão sobre a própria prática, contribui-se não só para estimular e preparar os professores para aprofundarem suas formações em cursos de pós graduação, mas também para que estejam cada vez mais preparados para atender as necessidades e especificidades da ação docente.

 

Objetivos

 

Proporcionar acesso e estímulo à leitura aos alunos nos anos de escolaridade obrigatória, da educação infantil e do ensino fundamental a partir da aquisição do acervo bibliográfico adequado a cada idade e ano de escolaridade.
Oportunizar o acesso dos demais membros das famílias dos estudantes  ao acervo adquirido com esse projeto.
Articular os saberes escolares com as leituras adicionais orientadas pelos professores em projetos de leitura diversos.
Proporcionar ampliação da formação continuada de professores e demais profissionais da educação das escolas e creches com leitura e reflexão sobre a prática em projetos de formação com a leitura técnica na própria Rede Municipal de Ensino.
Melhorar o desempenho educacional dos estudantes reduzindo as taxas de reprovação.
Melhorar o desempenho dos estudantes em leitura, compreensão e produção de textos.

 

Plano de Trabalho

Entrega dos livros adquiridos para a formação ou ampliação da “biblioteca em casa” adequada a cada perfil profissional e estudante por ano de escolaridade, constituídos por Auxiliares de creche, diretores e vice diretores de creches e escolas, inspetores de alunos, pedagogos, concursados e atuando em escolas e na Seduct e para estudantes por ano de escolaridade do Pré escolar II ao 9º ano, no início do ano letivo de 2022.
Organização do programa anual de estudo técnico para os professores e demais profissionais da educação com encontros virtuais e/ou presenciais mensais para leitura, análise, reflexão e proposições de práticas profissionais como parte do plano de aprimoramento profissional e no caso específico de professores como parte da carga horária destinada ao planejamento e demais atividades inerentes a função de professor, elaborado pela Seduct  em parceria com as unidades de ensino da rede e seus profissionais.
Criação de projetos orientados nas escolas e creches de momentos de leitura semanais com debates sobre as obras lidas. Organização do clube do livro Seduct onde estudantes do ensino fundamental são constituídos como sócios podendo participar de intercâmbio de livros, gincanas, jogos, torneios, campeonatos e desafios diversos organizados pelas escolas e a Seduct, entre outras estratégias, previsto em calendário semestral e/ou bimestral de atividades diversificadas da Rede Municipal de Ensino.
Utilização pedagógica curricular e extracurricular por parte dos professores dos livros das obras da “biblioteca em casa”, dos alunos, em formato de projetos ou como complemento dos conteúdos estudados.

 

Bibliografia

​FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 14ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 
FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 49ª ed, São Paulo: Cortez, 2008.
GRAZIOLI, Fabiano T.; COENGA, Rosemar E. Literatura infanto juvenil e leitura: novas dimensões e configurações. Erechim: Habilis, 2014.
LAJOLO, Marisa. A formação do leitor no Brasil. São Paulo: Ática, 1996.
Plano Nacional de Educação
Plano Municipal de Educação de Campos dos Goytacazes,
PRADO, Maria Dinorah Luz do. O livro infantil e a formação do leitor. Petrópolis: Vozes, 1996.
Programa De Aprendizagem Eficiente - PAE, Seduct, Campos dos Goytacazes, 2021, disponível em http://pae.seduct.campos.rj.gov.br
PULLIN, Elsa M. M.P.; MOREIRA, Lucinéia de S. G. Prescrição de leitura na escola e formação de leitores. Revista Ciências & Cognição,2008.
SOLÉ, Isabel. Estratégias de Leitura; trad. Cláudia Schilling. 6 ed. Porto Alegre: ARTMED, 1998.
SOLÉ, Isabel. Ler, leitura, compreensão: “sempre falamos da mesma coisa?” Porto Alegre: Artmed, 2003.