Criatividade: Projeto Estação Educação utilizado como recurso social



Usar a criatividade para driblar dificuldades é uma alternativa que muitos gestores utilizam em seus locais de trabalho. Na Educação, não é diferente. Na Escola Municipal Getúlio Vargas, o projeto Estação Educação ganhou novos objetivos. O diretor da unidade, Luiz Augusto Bernardo de Souza, tem utilizado a tecnologia para ajudar os alunos, que têm dificuldades econômicas, tirando fotos 3x4 deles para anexar aos documentos, sem custos financeiros, dentre outras finalidades próprias do projeto.


Luiz Augusto conta que a ideia surgiu porque a escola necessita de fotos para colocar nos documentos, como por exemplo, na ficha de matrícula, e existe muita dificuldade para conseguir por causa da questão social dos alunos, pois nem todos têm condições de pagar para fazer a fotografia. Dessa forma, utilizando os recursos tecnológicos da escola, que é a sala-estúdio, a equipe da unidade escolar resolveu, ao invés de os pais pagarem pelas fotos para atender as demandas da secretaria, eles posicionaram os aparelhos e começaram a fazer o registro das fotos e imprimiram.


“Essa foi a forma que a gente encontrou de sanar toda a pendência da escola em relação a fotos e, socialmente, para não impactar na vida das pessoas. A gente está vivendo um momento difícil, pessoas sem trabalho, desempregadas, sem dinheiro até para comprar comida. Então, a gente entende que tendo esse recurso, podemos oferecer essa ajuda. E a nossa proposta é de estar, junto com a Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia (Seduct) atendendo as escolas vizinhas, pois temos cinco unidades no entorno, então, para fins escolares podemos ajudar a comunidade com esse serviço social”, esclarece o diretor.


A Escola Municipal Getúlio Vargas está localizada em Tocos, tem 700 alunos e atende da Educação Infantil até o Ensino Fundamental 1. O projeto Estação Educação foi criado pelo secretário de Educação, Ciência e Tecnologia, Marcelo Feres, na época da pandemia para que os alunos tivessem acesso às aulas. O projeto visa à gravação e edição de vídeos educacionais produzidos pelos departamentos, escolas e coordenações da Seduct. Ao todo, serão 13 salas-estúdios preparadas com 26 câmeras, iluminação, microfone e outros recursos, nas unidades escolares selecionadas. Atualmente, há seis salas em funcionamento.


O Estação Educação já foi implantado na sede da Seduct; Creche Escola João Perdecene Neto, Lapa; Escola Municipal Getúlio Vargas; E.M. Maria Lúcia, no Parque Turfe Clube; Ciep Wilson Batista, em Guarus, e Amaro Prata Tavares, no Centro. A próxima inauguração vai ser feita na E.M. Albertina Venâncio, no distrito de Travessão, com data ainda a ser definida. As salas- estúdios funcionam em 2 turnos, manhã e tarde, com a presença de técnicos em cada um deles e 35 professores atuando no projeto. Ao todo, já são mais de 60 vídeos editados, prontos para irem para o portal Pae, aguardando apenas a implantação de linguagem de sinais e legendas.




97 visualizações