Navegando na Poesia vai ajudar no processo de leitura e escrita dos alunos


Quinze escolas da rede pública municipal estão participando do projeto Navegando na Poesia, realizado pela Associação Raízes, por meio do Programa Petrobras Socioambiental. O projeto começou em 2018 e trabalha o desenvolvimento da leitura e escrita para estudantes dos 3º e 4º anos. Ele está de volta ao formato presencial e vai atuar nos 11 municípios da Bacia de Campos.

No momento, as crianças estão sendo cadastradas e, em outubro, começam a fazer parte das oficinas, desenvolvidas com conceitos pedagógicos para abordagens lúdicas, participativas e interdisciplinares, nas quais os alunos conseguem atingir um imaginário diferente da sala de aula. Todos os conceitos são baseados na liberdade criativa da criança e buscam trabalhar o lado da regionalidade e cultura local.

Com uma equipe multidisciplinar, o projeto une diversos conceitos da literatura em uma atmosfera onírica e já realizou mais de 1.000 oficinas literárias para mais de 4.000 crianças da rede pública de seis municípios do Norte Fluminense (São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, Campos dos Goytacazes, Quissamã, Carapebus e Macaé).

A coordenadora de Projetos do Departamento Pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia, Neidimar Abreu, explicou que as escolas selecionadas são as que apresentam índice abaixo da média em leitura e escrita e não estão inseridas em nenhum outro projeto específico para essa área da Rede Municipal.

Segundo Rachel Carvalho, coordenadora do projeto, o retorno do Navegando na Poesia traz consigo grandes desafios e muito comprometimento em promover o acesso à leitura e à escrita por meio de atividades lúdicas e participativas em 43 escolas da rede pública dos 11 municípios.

Ainda, de acordo com Rachel, com o retorno presencial, o projeto está à disposição das escolas parceiras para somar nos processos pedagógicos que busquem também mitigar os efeitos da pandemia sobre os sujeitos das ações educativas dos 3º e 4º anos. Com o apoio da Petrobras, o projeto Navegando na Poesia tem o objetivo de construir e disseminar conhecimentos, vivências e experiências para engajar a comunidade escolar.

“Há de se considerar a pandemia, onde há dados e pesquisas que comprovam que as crianças, principalmente nos anos iniciais, estão com déficit de leitura e escrita. O projeto Navegando na Poesia vem somar, contribuir, ser uma ferramenta junto com a escola e a comunidade escolar, para tentar conciliar e quiçá, reverter esse quadro. Então, estamos elaborando metodologias que busquem incentivar ainda mais as crianças nas escolas, para que elas possam ler e escrever, se encantar pelas palavras e utilizar da imaginação para compreender e ter mais elementos para realizar várias e diferentes leituras de mundo. Vale destacar que toda nossa atuação e intervenção tem como mote a parceria com as secretarias de Educação Municipais, então temos o apoio da direção dessas escolas. É um projeto muito grande e de muita responsabilidade com um público alvo de mais de 4 mil alunos, porque a gente considera também a realidade local de cada escola e município. Estamos muito entusiasmados e trabalhando bastante para levar o que há de melhor da literatura infantil para essas escolas”, explicou Rachel.

A previsão de atuação é de três anos, nesse período, o projeto planeja oferecer mais de 1000 oficinas literárias para as crianças e 129 para os profissionais da educação. Além das atividades em sala de aula, o projeto realizará uma série de eventos de literatura nas cidades das regiões Norte Fluminense e Lagos e celebrará com a publicação das poesias dos educandos envolvidos na coleção de livros: Vamos brincar de poesia?

OFICINAS – No total, serão 6 oficinas fundamentadas em metodologias de alguns autores importantes para a educação, como Augusto Boal, Viola Spolin, Paulo Freire, entre outros. As oficinas duram em média 3 horas e estimulam as crianças a produzirem poesia a partir de conhecimentos e metodologias voltadas para a educação não formal, ou seja, do teatro, da música, da pedagogia e de outros âmbitos que venham a enriquecer o viés cultural.

ESCOLAS MUNICIPAIS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO


CIEP BRIZOLAO 144 PROFESSORA CARMEM SYLVIA CARNEIRO

CIEP BRIZOLAO 332 PEDRO ÁLVARES CABRAL

EM ALCEBIADES CANDIANO

EM JOSÉ GIRÓ FAÍSCA

EM AUGUSTO MACHADO VIANA

EM DR FRANCISCO MANOEL PEREIRA CRESPO - MUNICIPALIZADA

EM GERVASIO VASCONCELOS CORDEIRO

EM JOAO BORGES BARRETO

EM JOSÉ DE AZEVEDO

EM LIDIA LEITÃO DE ALBERNAZ

EM MARECHAL ARTUR DA COSTA E SILVA

EM PROFESSORA AUREA SIMAO

EM CUSTODIO GENEROSO VIEIRA

EM APIC

EM CLAUDIA ALMEIDA PINTO DE OLIVEIRA

8 visualizações