top of page

Projeto Biblioteca em Casa já distribuiu mais de 25 mil maletas de livros nas 140 escolas municipais



“Meus filhos sempre me viram chegando a casa com livros. Desta vez eu vi um filho chegando da escola com uma maleta de livros. Isso me fez perceber que algo mudou em relação a educação das crianças na Rede Pública Municipal de Campos”. O relato é do pai do aluno Antônio Fernando Rodrigues Tavares, estudante do 7º ano da Escola Municipal Santa Terezinha, situada em Baixa Grande. Raul Carvalho Tavares, ficou impressionado com a maleta de livros que tem sido distribuída aos estudantes da Rede através do projeto Biblioteca em Casa. Já foram distribuídas 24.460 maletas de livros nas 151 unidades escolares.


De acordo com Raul ele sempre incentivou a leitura, adquirindo livros para os filhos e ficou muito impressionado quando viu a criança chegando com a maleta. “Meu pai fazia isso comigo e eu continuei com meus filhos. Achei muito interessante porque o primeiro livro que ele pegou para ler na maleta foi “O Fantasma de Canterville”, de Oscar Wilde, que conta a história de um nobre que morreu e assombra sua própria casa. E esse livro é o mesmo que meu pai lia para mim quando eu era criança”, conta Raul.



Implantado pela Prefeitura de Campos no ano passado, o projeto Biblioteca em Casa está ajudando a aumentar a interação entre a família e a escola, ampliando e fortalecendo os vínculos familiares. De acordo com o secretário de Educação, Marcelo Feres, ele representa a materialização de mais uma meta do Programa de Aprendizagem Eficiente (PAE), implantado no início de 2021.


“O acervo bibliográfico é adequado por idade e nível de escolaridade, aprovado pelo Departamento Pedagógico da Seduct. A medida busca o cumprimento de várias metas do Plano Nacional de Educação e do Plano Municipal de Educação, visando melhorar o desempenho geral da rede municipal de ensino e o domínio da leitura, entre outras habilidades”, explicou Marcelo.



Além de proporcionar acesso e estímulo à leitura aos alunos nos anos de escolaridade obrigatória, o projeto está articulando os saberes escolares com as leituras adicionais orientadas pelos professores em projetos de leitura diversos; e proporcionando a ampliação da formação continuada de professores e demais profissionais da educação. A proposta também é melhorar o desempenho educacional dos estudantes reduzindo as taxas de reprovação, e melhorar o desempenho na leitura, compreensão e produção de textos.

61 visualizações
bottom of page