Projeto “Papo Reto” compartilha vivências e experiências entre os alunos


Uma troca de experiências onde cada um compartilhou saberes e mostrou que empatia e solidariedade podem e devem fazer parte da rotina de uma unidade escolar. Através do projeto “Papo Reto”, a Escola Municipal Olga Linhares, despertou nos alunos o desejo de compartilhar talentos. Cada uma das 15 turmas escolheu um tema que foi trabalhado e apresentado na escola. Entre os temas estão preconceito religioso, homofobia, feminicídio, violência doméstica, entre outros. Já a Educação de Jovens e Adultos (Eja) trabalhou suas vivências. Os alunos mais velhos ensinaram aos mais jovens a preparar doces como brigadeiros, fazer cabelo e ainda trabalhos manuais como o tricô. Foi o caso da aluna Licy Gomes de Souza, que aos 84 anos, mantém a agilidade das mãos tanto para dar vida aos trabalhos com as agulhas de tricô e ensinar as técnicas quanto para aprender as regras e os conceitos da aprendizagem no Ensino Fundamental. Diretora da Olga Linhares, Danielle Mothé, conta que o projeto Papo Reto foi um trabalho desenvolvido durante o segundo semestre com os alunos de todos os anos escolares, com o objetivo de trabalhar diversos temas da atualidade, pertinentes aos valores sob suas perspectivas. “Nas fases iniciais da Eja, os alunos apresentaram o que eles podem ensinar aos mais novos, suas experiências e habilidades. Foi uma ideia dos professores no conselho de classe do segundo bimestre, pois observamos muitos alunos com problemas sócio emocional, ansiedade, trazendo problemas de casa para a escola. E esse foi o caminho que encontramos para ajuda-los e deu muito certo”, diz Danielle.

A professora Dayane Altoé desenvolveu o subtema “Inclusão” com a turma do 7º ano. Ela conta que foram trabalhados vários segmentos sociais historicamente marginalizados e os alunos fizeram pesquisas e destacaram as dificuldades de inserção social ou no mercado de trabalho de ex- presidiários, por exemplo. “Não esperava que os alunos dessa faixa etária desenvolveriam um debate tão profundo. Além disso, trabalhamos com o filme “Extraordinário”, pois, temos no sétimo ano, alunos com necessidades especiais e com dificuldades de relacionamento. O debate sobre o filme fez com que esses se sentissem representados, aumentassem sua autoestima e mudassem positivamente o relacionamento com os outros alunos. Por fim, escrevemos, na principal área de circulação da escola, frases feitas sobre o respeito. Eles ficam empolgados em passar para o papel tudo aquilo que aprenderam e sentiram durante o desenvolvimento do Projeto Papo Reto. Foi uma experiência motivadora e gratificante”, relata a professora.

27 visualizações